Parei de pagar o INSS. Como recomeçar?

Por Hilario Bocchi em 22/06/2017

Imagem de Amostra do You Tube

‘Pode Perguntar’ tira dúvidas sobre aposentadoria especial para atividades de risco

Por Hilario Bocchi em 22/06/2017

Imagem de Amostra do You Tube

INSS: vítimas de acidente com moto

Por Hilario Bocchi em 20/06/2017

Nos últimos 11 anos triplicou o número de mortes de motociclistas e passageiros.
O número é ainda mais assustador quando se trata de pessoas que ficaram feridas.
Muitas dessas pessoas ficam afastadas do trabalho e quando retornam para suas atividades profissionais nem sempre estão totalmente curadas ou ficam com lesões permanentes.

Fotolia_78189033_Subscription_Monthly_XL

Benefícios por incapacidade

Os benefícios por incapacidade das pessoas vítimas de acidentes com moto são concedidos de acordo com o grau de incapacidade e o tempo de restabelecimento.
A aposentadoria por invalidez é devida quando a lesão incapacita o trabalhador de forma total e permanente.
O auxílio-doença é pago quando a incapacidade é provisória, total ou parcial.
O auxílio-acidente é pago quando a incapacidade é parcial e permanente.

Pulo do gato

Este benefício por incapacidade parcial e permanente pode ser recebido cumulativamente com o trabalho.
Aqueles que voltam ao trabalho e não conseguem desempenhar a mesma atividade ou tem dificuldade para executa-las podem ter duas fontes de renda: a do benefício do INSS (auxílio-acidente) em razão da incapacidade parcial e a do salário, visto que possui capacidade residual.
A conquista deste direito, além de garantir uma indenização mensal e em dinheiro, aumenta o valor da futura aposentadoria.
Quem já se aposentou e não pediu esta indenização pode fazer a revisão da aposentadoria.

Aposentadoria do professor é o assunto da semana do quadro ‘Pode Perguntar’

Por Hilario Bocchi em 14/06/2017

Imagem de Amostra do You Tube

INSS: vítimas de acidente com moto

Por Hilario Bocchi em 14/06/2017

Imagem de Amostra do You Tube

Aposentadoria: veja qual é a sua situação

Por Hilario Bocchi em 12/06/2017

Escolher entre aposentar ou não aposentar pode não ser apenas uma simples opção do trabalhador.
As regras são tão complexas que na semana passada, em um curso de pós-graduação do qual sou professor, o debate sobre este tema envolvendo advogados especializados acabou não terminando depois de quase três horas de discussão, mas chegamos a algumas conclusões.
O INSS não está pronto para dar informação de qualidade ao cidadão e bater o martelo para receber a aposentadoria antes da hora certa pode causar prejuízos irrecuperáveis ao trabalhador.

aposentadoria

Tabela prática para minimizar o dano

A tabela que postamos no G1 (http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/pode-perguntar/) mostra o percentual de aumento anual que o valor das aposentadorias ganha depois dos 25 anos de contribuição.
Pela nova regra todas as aposentadorias seriam calculadas da mesma forma: por idade, especial ou do professor, sendo certo que a aposentadoria por tempo de contribuição deixaria de existir.
O tempo de contribuição serviria apenas para aumentar o valor do benefício.

Aposentadoria: veja qual é a sua situação

Por Hilario Bocchi em 12/06/2017

Imagem de Amostra do You Tube

‘Pode Perguntar’ tira dúvidas sobre a reforma da Previdência

Por Hilario Bocchi em 12/06/2017

Imagem de Amostra do You Tube

Aposentadoria: veja qual é a sua situação

Por Hilario Bocchi em 05/06/2017

Com toda esta bagunça da reforma da previdência, que sai ou não sai, identifiquei três tipos de trabalhadores: aqueles que já podem se aposentar e têm a pontuação necessária para pegar o benefício sem o fator previdenciário (85 pontos para a mulher e 95 pontos para o homem); aquele que tem o tempo, mas ainda não atingiu a pontuação; e aquele que ainda não tem o tempo de contribuição mínimo para se aposentar.

casal-aposentadoria

Trabalhador que já atingiu a pontuação

A mulher com 30 anos de contribuição e 55 anos de idade, e o homem que tem 35 anos de contribuição e 60 de idade, já podem se aposentar sem o fator previdenciário (85/95 pontos, resultante da somatória da idade e tempo de contribuição).

Quem não atingiu a pontuação

O trabalhador que possui o tempo de contribuição, mas não atingiu os 85/95 pontos, também pode se aposentar, mas neste caso terá a redução do fator previdenciário (expectativa de vida) tem que fazer cálculos por que em alguns casos esperar a reforma da previdência pode gerar um benefício maior.

Próxima semana

Na próxima semana vou mostrar uma tabela e ensinar como calcular o valor do benefício com base nas novas regras da proposta da reforma e escrever sobre as pessoas que ainda não têm o tempo mínimo para se aposentar.

Aposentadoria: veja qual é a sua situação

Por Hilario Bocchi em 01/06/2017

Imagem de Amostra do You Tube