Encontro Braztoa define tendências para o mercado de turismo

Por Eduardo Gregori em 07/03/2018

braztoa

A Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) promove nesta quinta-feira (8/3), em São Paulo, a 49ª edição do Encontro Comercial Braztoa (ECB).

Com 35 associadas Braztoa confirmadas, o evento volta ao Centro de Conven√ß√Ķes Frei Caneca, onde foi realizado por nove anos, por√©m totalmente repaginado. Focado em neg√≥cios e networking e capacita√ß√Ķes, o encontro deve reunir mais de 1,8 mil profissionais do setor e se destaca ao apresentar novidades para o setor, debates e tend√™ncias do mercado de turismo, com foco nos agentes de viagem. ‚ÄúO Centro de Conven√ß√Ķes Frei Caneca √© um lugar que nos traz excelentes recorda√ß√Ķes e resgatamos o que sempre fizemos, um evento que gera muitos neg√≥cios entre operadores e ag√™ncias de viagem, mas de uma forma muito mais inovadora e conectada √†s necessidades atuais do setor‚ÄĚ, explica a presidente da entidade, Magda Nassar.

Coincidindo com a data que comemora o Dia Internacional da Mulher, a abertura do evento contar√° com um painel de debates com a presen√ßa de Magda Nassar, Ana Donato, especialista em marketing e eventos para o setor de turismo, e Sabrina Bull, produtora de conte√ļdo. O ECB tamb√©m promover√° arrecada√ß√£o de alimentos para¬†a Colmeia, institui√ß√£o paulistana que contribui para a realiza√ß√£o pessoal e profissional de jovens, orientando e desenvolvendo suas potencialidades para o mercado de trabalho.

49¬ļ Encontro Comercial Braztoa
Data: 08 de março de 2018
Hor√°rio: a partir das 9h.
Local: Centro de Conven√ß√Ķes Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 569 ‚Äď Consola√ß√£o ‚Äď S√£o Paulo ‚Äď SP

A Braztoa re√ļne operadoras de turismo, colaboradoras e empresas de representa√ß√£o de produtos e destinos, al√©m de convidados, respons√°veis por estimados 90% das viagens organizadas de lazer, comercializados pela cadeia produtiva no Brasil.

Em 2016, as operadoras associadas faturaram R$ 11,3 bilh√Ķes e embarcaram mais de cinco milh√Ķes de passageiros durante todo o ano. Essas mesmas empresas geraram um impacto econ√īmico de R$ 10,6 bilh√Ķes para a economia nacional, neste mesmo per√≠odo (quantia que contempla a soma do valor dos pacotes comercializados para destinos nacionais, com o gasto m√©dio di√°rio com extras do turista nos destinos).

Entidade de vanguarda e sem fins lucrativos, a Braztoa promove a√ß√Ķes e parcerias que valorizam as atividades empresariais dos associados, apoiando o desenvolvimento do mercado tur√≠stico de forma sustent√°vel.

Cuidado com passagens e pacotes turísticos muito baratos

Por Eduardo Gregori em 28/02/2018

golpe passagens

Neste episódio do Programa Eu Por Ai, falo sobre um tipo de golpe que vem assustando a quem gosta de viajar: passagens aéreas e pacotes turísticos falsos.

Muitos deles são anunciados em grupos de WhatsApp e em redes sociais e têm preços bastante atrativos, mas na realidade não existem e o golpe só é descoberto quando a pessoa chega ao aeroporto e não consegue embarcar.

Conversei com Juliana Schwartzmann, uma das agentes de viagens mais respeitadas de Campinas e do Pa√≠s, que d√° dicas de como desconfiar poss√≠veis fraudes, verificar se uma ag√™ncia de viagens √© id√īnea e escapar deste tipo de cilada.

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Cuidado com o golpe da falsa hospedagem

Por Eduardo Gregori em 19/02/2018

falsa hospedagem

Uma reportagem do Fantástico deste domingo (18/2) alertou para o golpe das passagens aéreas e pacotes turísticos, aplicados no Brasil. Porém, esse tipo de cilada existe em várias parte do mundo e pode pegar também quem tem experiência na compra de produtos de turismo.

Recentemente, ao procurar uma hospedagem em Lisboa, quase ca√≠ em uma roubada virtual. Um an√ļncio em um site em Portugal me levou a um¬†falso Airbnb, plataforma que oferece im√≥veis de temporada para turistas. Assista ao Programa Eu Por A√≠ e veja como escapar deste tipo de golpe.

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Dicas para elaborar um roteiro pelo Alentejo

Por Eduardo Gregori em 19/02/2018

Alentejo

O Alentejo, no centro-sul de Portugal, surpreende por sua vasta oferta tur√≠stica, com op√ß√Ķes para todos os perfis de viajantes. Seja no inverno ou no ver√£o, a maior regi√£o do pa√≠s √© o lugar perfeito para fugir do agito urbano e das multid√Ķes, aproveitando a vida em seu pr√≥prio ritmo.

O ideal é reservar, pelo menos, cinco dias de estadia no destino. E, para elaborar um roteiro completo, confira algumas dicas e aproveite tudo que o Alentejo tem a oferecer.

Pesquise sobre a fascinante história da região
Tenha informa√ß√Ķes sobre a hist√≥ria local antes mesmo de embarcar. Assim, ficar√° muito mais f√°cil decidir quais atra√ß√Ķes visitar durante suas f√©rias e estabelecer o itiner√°rio. O destino possui in√ļmeros monumentos que testemunharam momentos importantes do pa√≠s, al√©m de vilas inteiras declaradas Patrim√īnio da Humanidade pela UNESCO, como Elvas, ao norte da regi√£o. Se preferir, contrate um guia local que poder√° fornecer detalhes e curiosidades, acrescentando conhecimento e originalidade aos seus passeios.

Inclua atividades para todos os participantes
O Alentejo conta com atividades variadas e, em uma viagem em grupo, é importante levar a opinião de todos os envolvidos em consideração. Para entreter a família inteira, por exemplo, uma boa opção é passar um dia de atividades divertidas no Lago Alqueva e fazer passeios de barco ou esportes náuticos, ou então visitar o zoológico Badoca Safari Park, com muitas espécies para conhecer e interagir.

Hospede-se em mais de um hotel
Com ampla diversidade de hot√©is, pousadas e herdades, o Alentejo possui in√ļmeras propriedades que oferecem uma experi√™ncia completa em hospedagem. Por isso, tente dividir a sua estadia em, no m√≠nimo, duas etapas. Voc√™ pode dormir em antigos aposentos da realeza portuguesa, como na Pousada Rainha Santa Isabel, em Estremoz. Ou ent√£o, provar o melhor do turismo rural em hot√©is como o elegante Torre de Palma Wine Hotel, em Monforte, ou na Herdade da Malhadinha Nova, em Albernoa.

Inclua experiências locais no seu itinerário
O artesanato √© uma recorda√ß√£o perfeita para levar para casa, e cada vila ou cidade possui um of√≠cio mais caracter√≠stico, como tapetes e mantas feitos de l√£ de ovelhas, artigos em corti√ßa e couro, pe√ßas de vestu√°rio tradicionais e cer√Ęmica. Para ir a fundo na cultura alentejana, inclua no roteiro experi√™ncias como cozinhar um prato t√≠pico, participar de um workshop de cer√Ęmica ou at√© mesmo aprender o bordado usado no famoso tapete de Arraiolos.

Faça o roteiro de carro
Esta √© a melhor maneira para viajar pelo Alentejo e conhecer seus mais belos cen√°rios. Mesmo com boas op√ß√Ķes de transporte p√ļblico, o passeio de carro permite maior liberdade, contato com a natureza e a descoberta de diversos tesouros portugueses durante o trajeto. Al√©m disso, o destino n√£o possui grandes metr√≥poles, ou seja, o tr√Ęnsito √© tranquilo pelas pequenas cidades e vilarejos espalhados por todo o seu territ√≥rio. √Č poss√≠vel alugar um carro diretamente no aeroporto de Lisboa, e a maioria das locadoras disponibiliza o ‚ÄúVia Verde‚ÄĚ, um sistema simplificado de pagamento de ped√°gios.

Experimente a gastronomia sem igual
Um atrativo à parte, a gastronomia autêntica alentejana conta com pratos saborosos, baseados em carne de cordeiro, porco alentejano e lebre, além de peixes e frutos do mar, sempre acompanhados pelo pão tradicional da região. Deu água na boca? Então tente buscar por restaurantes que trazem o melhor dessa inigualável culinária típica.

Mergulhe em uma das praias intocadas
Reserve pelo menos um dia da viagem para conhecer o litoral alentejano e seus areais dourados e quase desertos. O destino tem algumas das melhores praias do continente europeu, muitas delas perfeitas para a prática de esportes náuticos, outras ideais para um dia em família e um bom banho de sol. Entre as mais badaladas estão Comporta, Tróia Galé e São Torpes.

Vinhos e mais vinhos
Meca dos apaixonados por vinhos, a regi√£o tem op√ß√Ķes de enoturismo espalhadas por todo o seu territ√≥rio e √© obrigat√≥rio incluir pelo menos uma visita √†s vin√≠colas. √Č poss√≠vel conhecer o processo de produ√ß√£o dos premiados vinhos, aprender mais sobre eles e ainda degust√°-los, tanto em adegas como em herdades produtoras. As vindimas acontecem nos meses de agosto e setembro. Se estiver por l√°, voc√™ pode participar da colheita e at√© da pisa das uvas.

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Séries que inspiram viagens pelo mundo

Por Eduardo Gregori em 06/02/2018

séries

Fazenda N√°poles, que foi de Pablo Escobar

Uma boa s√©rie, seja via streaming ou TV, n√£o se faz apenas com grandes atores, personagens marcantes e enredo de qualidade. √Č preciso mais. E um dos elementos fundamentais para o sucesso ou n√£o de uma boa trama √© o cen√°rio, que por vezes nos faz viajar mesmo sem sair do sof√°.

Partindo dessa premissa básica das artes cênicas, cada vez mais títulos da TV e do streaming tem escolhido a dedo os locais que serviram de pano de fundo para a composição de seus capítulos. E o resultado tem motivado muitos espectadores a visitar estes lugares em busca de uma pitada de saudosismo.

Pensando nestes f√£s, seleciono cinco locais reais que serviram de cen√°rio para grandes produ√ß√Ķes da TV e do Netflix!

Confira as indica√ß√Ķes:

1- Vikings ‚Äď Wicklow, Irlanda
Sucesso de cr√≠tica e de p√ļblico, a s√©rie Vikings, do canal History, encontrou em um pequeno condado irland√™s o local perfeito para retratar o territ√≥rio ocupado pelos n√≥rdicos durante o seu apogeu, a Escandin√°via. Com belas paisagens compostas por montanhas escarpadas, vegeta√ß√£o rasteira e vales selvagens, Wicklow serviu como pano de fundo para quase todas as cenas gravadas ao ar livre durante a s√©rie. Destaque para o lago de LoughTay e para as montanhas deLuggala, que banha e emolduram o vilarejo fict√≠cio de Kattegat, respectivamente.

2- Sherlock ‚Äď Londres, Inglaterra
Na onda das s√©ries o detetive brit√Ęnico mais famoso do mundo tamb√©m ganhou uma adapta√ß√£o para as telas da TV feita pela BBC. Na produ√ß√£o, a era vitoriana, retratada por Sir Arthur Conan Doyle em seus contos originais sai de cena e d√° lugar a uma Londres moderna, atual e acess√≠vel aos f√£s, que podem reviver os passos do ator Benedict Cumberbatch. Uma boa sugest√£o de in√≠cio √© a Baker Street, rua do flat em que o detetive divide com o Dr. Watson nos contos de Doyle. Caminhar por ali rende boas refer√™ncias e in√ļmeros atrativos tur√≠sticos que remetem ao personagem, como o museu que imita a resid√™ncia de Holmes, o n√ļmero 221B. O hospital St. Bartholomew, em West Smithfield, tamb√©m √© importante para a trama da BBC. Foi l√° que a dupla Holmes e Watson se conheceu e onde o houve o confronto final entre o protagonista e seu inimigo, James Moriarty.

3- House Of Cards ‚Äď Maryland, USA
Uma das produ√ß√Ķes mais rent√°veis e populares da Netflix nos √ļltimos anos, a s√©rie, n√£o vive um bom momento atualmente por conta da crise envolvendo o ator Kevin Spacey. Ainda assim, surpreende os telespectadores com bel√≠ssimas imagens de Washington D.C. Mas o que muitos n√£o sabem, √© que al√©m da capital, outros estados americanos tamb√©m serviram de loca√ß√£o para a trama. Na 1609 Park Ave. est√° a casa dos Underwoods na primeira e segunda temporada; a esta√ß√£o de metr√ī Charles Center, onde aconteceram cenas com a rep√≥rter Zoe Barnes; al√©m do Baltimore Museum of Art, o bar Wit&Wisdom Tavern no hotel Four Seasons, e o fict√≠cio Freddy‚Äôs BBQ Rib Joint, que fica na 2605 Greenmount Ave.

4- Breaking Bad ‚Äď Albuquerque, USA
Considerada pela m√≠dia especializada como uma das 100 melhores s√©ries de todos os tempos, Breaking Bad surpreende tanto pela trama marcante quanto pelo realismo da cenografia. Este, inclusive, √© um dos trunfos da s√©rie, que foi gravada quase que totalmente em Albuquerque, uma cidade real e sem fantasias, no estado do Novo M√©xico. Com status de personagem, a cidade, que ofereceu desde casas, restaurantes, estradas, desertos e at√© um lava – r√°pido, – usado por Walter White em uma das temporadas – como cen√°rio, proporciona aos visitantes uma verdadeira imers√£o ao universo de Breaking Bad. Os f√£s podem conhecer algumas loca√ß√Ķes, como as casas dos principais personagens, o pol√™mico lava r√°pido de Heisenberg, chamado de A1, o escrit√≥rio do Saul Goodman e a lanchonete Twisters, onde Gus Fring comandava o fict√≠cio Los Pollos Hermanos.

5- Narcos ‚Äď Medell√≠n, Col√īmbia
Outro sucesso da Netflix, a s√©rie Narcos, que retratou a vida de Pablo Escobar, um dos traficantes de drogas mais famosos e procurados do mundo, teve v√°rias cenas gravadas em diversas cidades colombianas. Mas √© em Medell√≠n que ficam as paradas ic√īnicas. L√°, √© poss√≠vel visitar e se hospedar na Fazenda N√°poles, que foi por muitos anos a morada de Escobar, ir at√© a Mans√£o M√≥naco, outra resid√™ncia do ‚ÄúPatron‚ÄĚ e ver de perto o seu t√ļmulo no cemit√©rio de Jardins Montesacro.

Informa√ß√Ķes sobre como viajar para estes destinos:¬†www.interpoint.com.br

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Cinco destinos em ascens√£o para os brasileiros em 2018

Por Eduardo Gregori em 30/01/2018

cinco destinos

A Booking.com avaliou os destinos que tiveram o maior crescimento de reservas entre os usuários brasileiros da plataforma em 2017 em comparação com o ano anterior. Afinal, 72% dos viajantes brasileiros pretendem viajar mais em 2018 que no ano passado e mais da metade dos viajantes do país (55%) deseja visitar o máximo de destinos possível este ano, de acordo com uma pesquisa feita pela empresa com 19 mil pessoas de 26 países.

Entre os destinos que houve um maior aumento de reservas entre brasileiros no ano passado est√£o a cidade de San Francisco, nos Estados Unidos, seguida de Machu Picchu, no Peru, e San Pedro de Atacama, no Chile, representando a Am√©rica Latina. Joanesburgo e Cidade do Cabo, ambas na √Āfrica do Sul, fecham a lista. Ao todo, no site da Booking.com, os cinco destinos somados acumulam mais de 3.400 acomoda√ß√Ķes cadastradas.

Por outro lado, entre os destinos que houve maior aumento de reserva no ano passado* entre usu√°rios da Booking.com de todo o mundo s√£o:

‚ąö – Bogot√°, Col√īmbia
‚ąö –Brisbane, Austr√°lia
‚ąö –Bucareste, Rom√™nia
‚ąö –Hannover, Alemanha
‚ąö –Lima, Peru
‚ąö –Nashville, Estados Unidos
‚ąö –Portland, Estados Unidos
‚ąö –Sapporo, Jap√£o
‚ąö –Taitung City, Taiwan
‚ąö –Zakopane, Pol√īnia

*A lista acima está em ordem alfabética e não em ordem de classificação por reservas, portanto, não deve ser vista como um ranking.

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Trem de luxo de Londres ao interior da Inglaterra

Por Eduardo Gregori em 23/01/2018

trem

Desde o s√©culo 19 o Expresso do Oriente, ou Orient Express, √© sin√īnimo de luxo em viagens de trem, e foi retratado no cl√°ssico Assassinato no Expresso do Oriente, de Agatha Christie. Trata-se n√£o de um trem espec√≠fico, mas de uma combina√ß√£o de trens e rotas pela Europa.

Na Grã-Bretanha o Expresso do Oriente passou a se chamar Belmond British Pullman (link is external). Mas continua oferecendo a mesma experiência vintage de viagem Рlocomotiva a vapor, gastronomia de primeira e algumas rotas temáticas, como a de desvendar mistérios.

Viajando a bordo de uma locomotiva a vapor
Sim, e que experi√™ncia rom√Ęntica √© esta! Dif√≠cil n√£o se sentir personagem de um filme de √©poca. Vista-se com o seu melhor vestido ou terno, como faziam antigamente, e deixe-se conduzir at√© o seu assento. Quem sabe ser√° o Phoenix, o favorito da Rainha-M√£e?

Seja servido com uma taça de espumante inglês e apenas relaxe, enquanto o trem parte da estação em Londres e começa a jornada pelas paisagens verdejantes do interior da Inglaterra.

Uma experi√™ncia gastron√īmica
O card√°pio pode variar de acordo com a rota e o tema da sua jornada, mas uma coisa √© certa: a culin√°ria √© de primeira qualidade. Com pratos criados por chefs celebridades e ingredientes frescos, voc√™ pode experimentar desde ch√°s da tarde super elaborados at√© menus de degusta√ß√£o em uma sele√ß√£o de 7 pratos com o melhor da cozinha brit√Ęnica.

O trem

A partir da restauração de um conjunto de locomotivas clássicas e históricas dos anos 20, o Belmond British Pullman começou a operar nos anos 80, reunindo alguns dos melhores e mais tradicionais trens antigos da Grã-Bretanha, como o Brighton Belle.

Cada trem √© √ļnico e tem uma hist√≥ria pr√≥pria para contar. Mas todos s√£o famosos pela decora√ß√£o requintada estilo art deco e detalhes como l√Ęmpadas de mesa de cristal, estofados vintage e pain√©is de madeira com belos entalhes florais.

Quais s√£o as rotas do trem?

As principais rotas do Belmond British Pullman são entre Londres e o sul da Inglaterra, tendo a estação London Victoria como ponto de saída e chegada em Londres.

Há uma série de rotas cênicas que passam por lugares como Surrey Hills, Cotswolds, as paisagens verdejantes de Kent e as famosas cidades de Bath e Canterbury. Isto sem contar as viagens temáticas, que incluem almoços especiais no Dia dos Namorados (comemorado em 14 de fevereiro no Reino Unido), Natal ou ceia de Ano Novo.

Decifrando crimes a bordo
Graças a Agatha Christe o Expresso do Oriente ficou conhecido no mundo todo, e a jornada com tema no romance de Agatha Christie é uma das tradicionais.

 

Como reservar

https://www.belmond.com/uk

Fonte: Visit Britain

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Uruguai tem o carnaval mais longo do mundo

Por Eduardo Gregori em 10/01/2018

Carnaval Uruguai

Crédito: Leonardo Correa/Divulgação

O Uruguai tem o carnaval mais longo do mundo, come√ßa em finais de janeiro e continua at√© meados de mar√ßo. Durante aproximadamente 40 dias, milhares de pessoas v√£o as ruas ou casa de espet√°culos acompanhar as diversas atra√ß√Ķes, que se exibem em todo pa√≠s, e s√£o marcadas pela mistura das culturas africana e europeia.

Iniciado em Montevid√©u, √© uma das tradi√ß√Ķes mais antigas e populares da cultura uruguaia. O ponta p√© inicial √© dado todos os anos com o Desfile Inaugural na Avenida 18 de Julio, que esse ano acontece no dia 25 de janeiro. Todos os grupos que interv√™m no concurso oficial da capital participam acompanhados de carros aleg√≥ricos e cortejo de Rainhas do Carnaval.
Al√©m da apresenta√ß√£o na avenida 18 de Julio, existem os famosos desfiles de ‚ÄúLlamadas‚ÄĚ. Com forte influ√™ncia da cultura africana, sob o som do Candombe, esse ano ocorrer√£o nos dias 8 e 9 de fevereiro e passar√£o pelo bairro: Sur e Palermo, tamb√©m na capital uruguaia. A tradi√ß√£o evoca e lembra os encontros dos escravos, que se reuniam fora da cidade durante os s√©culos XVIII e XIX.

A força e o colorido do ritmo africano fazem os visitantes vibrarem, a manifestação caracteriza-se pelo diálogo de três tipos de tambores: chico, repique e piano. O comovedor espetáculo é o maior no mundo quando se trata de tambores sendo tocados ao mesmo tempo: são mais de 2500 instrumentos unissonantes, arrepiando a alma dos espectadores.

Al√©m de curtir e dan√ßar baixo o som dos tambores do Candombe, o visitante poder√° desfrutar da Murga, ritmo de origem espanhola que mistura teatro, par√≥dia, humor e melodia. O g√™nero √© uma das express√Ķes mais genu√≠nas da cultura uruguaia, principalmente por sua participa√ß√£o popular. Nas noites de fevereiro os conjuntos percorrem palcos de bairros ‚Äď tablados montados nas ruas durante o per√≠odo de carnaval, onde costumam se apresentar.

Por 35 dias, os grupos carnavalescos de Murgas, Parodistas, Humoristas e Revistas Musicais participam do Concurso Oficial do Carnaval, onde apresentam com humor e sátira a visão do país e do mundo, acompanhados de diversos arranjos corais, vestuários chamativos e maquiagens criativas. Além de Montevidéu, todas as cidades do interior do Uruguai têm seus desfiles inaugurais. Algumas cidades sofrem influência de outros países como Rivera, Artígas e Melo, localidades fronteiriças ao Brasil, que adotam diversos elementos do nosso carnaval.

Dica de passeio: Em Montevidéu pode-se visitar durante o ano todo o Museu do Carnaval. Ali está exposta a memória do carnaval e abriga parte da história nacional. Confira no site: http://museodelcarnaval.org/

Mais sobre o Candombe
As sociedades de Afrodescendentes e Lubolos ou Comparsas de Candombe s√£o herdeiras de uma tradi√ß√£o envolvida nas denominadas Salas de Naci√≥n da √©poca Colonial. Os africanos trazidos como escravos lograram transmitir os valores de sua rica cultura. Reconhecido como Patrim√īnio Imaterial da Humanidade, o Candombe seduz aos visitantes com o peculiar som de seus tr√™s tambores. No Desfile de Llamadas tocam em un√≠ssono, ao longo do percurso, 2.500 tambores que constituem a ess√™ncia da comparsa.

O ritmo do Candombe surge da denominada corda, grupo formado por tr√™s tipos de tambores: piano, repique e chico. √Č tocado batendo o couro com a m√£o aberta e com uma baqueta que pode bater tamb√©m na madeira, sempre pendurado ao ombro por uma correia permitindo que o instrumentista caminhe enquanto toca.¬†Diante da corda de tambores, cujo n√ļmero pode superar os setenta integrantes, seguem adiante com seus trajes t√≠picos o resto da comparsa (marcha). O desfile de ‚ÄúLlamadas‚ÄĚ leva seu nome de ‚Äúla llamada del tambor‚ÄĚ, que os afrodescendentes realizavam para se reunirem (em extramuros), longe das propriedades de seus senhores, desde finais do s√©culo XIX em alguns corti√ßos, em determinadas zonas de Montevid√©u.

A marcha de cada agrupação é aberta por um estandarte, simbolizando o emblema da Tribo ou Etnia. Depois aparece o corpo de dança e os personagens ancestrais. Personagens como: o Gramilleiro, bruxo da tribo, caracterizado por capa, chapéu, bengala, óculos e barba branca, e mala com ervas de propriedades curativas; a Mama Vieja, de roupa colorida, leque e sombrinha, dança lentamente chamando a atenção do Gramillero; a Escobero, que originalmente guiava os tambores durante o desfile com uma bengala, hoje dança com uma pequena vassoura, dando movimento e seguindo o ritmo dos tambores; e as Vedettes que somam sensualidade as danças, evocam rituais, dançando diante da corda.

Mais sobre a Murga
Embora se identifique com origem C√°diz, cidade situada no sul da Espanha, desde 1908, sofreu muitas transforma√ß√Ķes, a Murga uruguaia nas √ļltimas d√©cadas transformou-se culturalmente e vem acolhendo cada vez mais adeptos do mundo todo. As Murgas carregam uma amplitude de ritmos musicais, dentre eles a ‚Äúmarcha cami√≥n‚ÄĚ, que se identificam compassos de percuss√£o do bumbo e do prato. O vestu√°rio e maquiagem carregam heran√ßa de outras express√Ķes presentes na arte europeia.

Atualmente, a Murga uruguaia √© formada por 17 integrantes: um diretor de cena e coral, 13 coristas ou ‚Äúcuerda de voces‚ÄĚ, divididos segundo seu tom de voz e 3 integrantes formam a bateria, com pratos, bumbo e redobre. As apresenta√ß√Ķes percorrem palcos p√ļblicos e privados principalmente de Montevid√©u e interior do pa√≠s, levam √† cena letras com humor, s√°tira e cr√≠tica de temas atuais, normalmente relacionados a pol√≠tica e cr√≠ticas sociais.

O carnaval nasce dos bairros e a maioria tem uma Murga pela qual torcer, apoiar ou seguir, ora nos desfiles ora nos concursos oficiais, que tem j√ļri qualificador outorgando pr√™mios e men√ß√Ķes.¬†Os ensaios s√£o abertos ao p√ļblico, isso permite que fam√≠lias inteiras memorizem e entoem seus repert√≥rios.

 

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Patag√īnia chilena, conex√£o direta com a natureza

Por Eduardo Gregori em 03/01/2018

Patag√īnia

√Č bem verdade que n√≥s, brasileiros, adoramos destinos de compras. Miami, Orlando, Nova York est√£o sempre na nossa lista de desejos. Mas assim como h√° lugares para gastar muitos d√≥lares e estar conectado nas redes sociais quase que 24 horas por dia, h√° tamb√©m destinos cujo prop√≥sito √© exponencialmente o inverso. E n√£o √© preciso ir ao outro lado do mundo para simplesmente contemplar o que h√° de mais belo neste planeta: a natureza. Esse √© o convite que a Patag√īnia faz ao seu visitante. Esque√ßa as lojas de grife e o sinal de celular, porque a conex√£o ser√° inteiramente com lindas paisagens feitas de bosques, riachos e geleiras.

A Patag√īnia √© dividida entre Argentina e Chile, bem ao sul da Cordilheira dos Andes e da Am√©rica do Sul. Se na Argentina tem destinos conhecidos mundialmente como Ushuaia e a Terra do Fogo, na sua face norte, no Chile, √© onde se encontramos recantos ainda mais deslumbrantes e porque n√£o dizer m√≠ticos, como a Carretera Austral, estrada de 1,2 mil quil√īmetros que serpenteia a regi√£o, abrindo caminho entre as cidades de Puerto Montt e Villa O‚ÄôHiggins.

Patag√īnia

Carretera Austral, estrada que corta o sul do Chile

Apesar de parecer um tanto remota, chegar ao norte da Patag√īnia n√£o √© uma tarefa assim t√£o dif√≠cil. O aeroporto mais pr√≥ximo a Santiago fica na cidade de Balmaceda, conhecida como uma das mais frias do Chile. Mas uma boa not√≠cia, principalmente para quem n√£o se d√° muito bem com o frio, como eu, √© que, quanto mais nos embrenhamos pela regi√£o, mais ameno o clima, principalmente no ver√£o. Mas se voc√™ curte frio, ent√£o v√° no inverno. Vale lembrar que, por estar no sul da Am√©rica do Sul, √© imprescind√≠vel levar roupas de frio, mesmo na esta√ß√£o mais quente do ano, roupas imperme√°veis (por conta da chuva que sempre cai por l√°) e botas para caminhar na terra e no gelo.

Para explorar o norte da Patag√īnia √© preciso ter em mente duas op√ß√Ķes: Fa√ßa voc√™ mesmo ou se hospede em um hotel que d√™ todo o suporte. Se a escolha for pela primeira op√ß√£o, ser√° preciso alugar um carro desde Balmaceda e da√≠ ir vencendo as dist√Ęncias e conhecendo lugares por sua conta e risco. Imposs√≠vel n√£o √©, mas eu diria que a segunda escolha √© a mais confort√°vel. Afinal, n√£o estamos em um destino onde h√° facilidades como asfalto em todo o caminho, ou postos de combust√≠vel aqui e ali, e lembrando, o sinal de celular ora funciona, ora n√£o. Transporte p√ļblico? S√≥ nas pequenas cidades.

Escolhi me hospedar no¬†Loberias Del Sur, hotel na pequena cidade de Puerto o Chacabuco. S√£o pouco mais de 130 quil√īmetros de dist√Ęncia, percorridos em mais ou menos duas horas. O interessante dessa op√ß√£o √© o que o hotel oferece servi√ßo de transfer de e para o aeroporto de Balmaceda, e serve como base para todos os passeios. Falarei do hotel mais¬† adiante, mas, vale lembrar que, estar bem acomodado, com boa comida e vinhos chilenos, √© como um b√°lsamo depois de um dia inteiro explorando a regi√£o.

Patag√īnia

A pequena Coyhaique: cidade típica do interior e rodeada pela grandiosa natureza

Comecei minha imersão pela natureza de leve, e sugiro o mesmo a quem se interesse em visitar o destino. No caminho entre Balmaceda e Puerto o Chacabuco fica a charmosa Coyhaique. Do alto da estrada é possível vê-la, quase escondida no meio de pampas verdejantes. Típica cidade pequena, tem um centro onde praticamente tudo se resume, com feira de artesanato, bancos e comércio. Não é uma cidade turística, mas deve ser visitada, justamente por revelar como é a vida tão longe de um grande centro urbano e tendo como vizinha, a poderosa Mãe Natureza.

Conhecer a face norte da Patag√īnia significa se deslocar pelas estradas. Ent√£o, todos os passeios v√£o demandar uma boa parte do dia sobre quatro rodas. E quanto mais distante da base, mais incr√≠vel o lugar. Mesmo com muitas horas (as vezes 4 horas para chegar e outras 4 para voltar) o caminho nunca √© enfadonho. Monumentos naturais como o Cerro Castillo onde ficam as Rochas das M√£os (figuras feitas por nativos, que deixaram suas m√£os pintadas h√° pelo menos 15 mil anos) e o Rio Iba√Īez, que rasga um extenso vale, fazem parte do trajeto. Outra comodidade de estar com guias √© poder parar em um mirante, apreciar a vista tomando um bom chocolate quente, ou um caf√©, acompanhado de petiscos.

Patag√īnia

Cascata Barbas del Viejo, no Parque Aikén del Sur

Um dos passeios mais pr√≥ximos de Puerto o Chacabuco √© o Parque Aik√©n del Sur. A apenas 7 quil√īmetros de dist√Ęncia, a propriedade privada tem uma √°rea de 250 hectares e uma rica biodiversidade. O visitante pode escolher entre tr√™s trilhas, a mais extensa leva aproximadamente tr√™s horas e vai at√© uma parte alta do parque. Escolhi a intermedi√°ria, de duas horas, feita de trilhas suaves entre a mata. Me embrenhei pelo bosque h√ļmido e respirei muito ar puro, conhecendo a flora t√≠pica da regi√£o e, entre uma copa de √°rvore e outra, avistei p√°ssaros. O fim da trilha reserva a melhor parte do passeio, como uma ponte de madeira sobre um riacho com corredeiras e uma vista majestosa da Cascata Barbas del Viejo. Me deixei molhar um pouco pelo vapor formado pela queda d‚Äô√°gua. E depois de gastar muitas calorias, o passeio termina com um almo√ßo regado a pisco sour, vinho e um delicioso cordeiro patag√īnico assado no fogo de ch√£o.

Outra reserva que n√£o deve ficar fora do roteiro √© o Parque Nacional Queulat. A aproximadamente 175 quil√īmetros desde Puerto o Chacabuco, o parque exp√Ķe cruamente como o homem est√° mudando a paisagem da Terra. V√≠tima do aquecimento global, a colossal geleira de Queulat, presa no alto de uma montanha, se desfaz lentamente sobre um lago. O parque oferece navega√ß√£o pelo lago quando as condi√ß√Ķes clim√°ticas permitem. No passeio √© poss√≠vel ver de perto a geleira. Para quem n√£o quer se arriscar nas √°guas geladas, o roteiro segue pela mata, onde √© poss√≠vel apreciar a beleza da fauna e flora. H√° um √°rea para alimenta√ß√£o. Quem vai por conta deve levar comida, quem contratou o passeio, os guias preparam almo√ßo em uma especie de tenda, o que √© uma facilidade. E a comida ainda vem com pisco e vinho.

Patag√īnia

Parque Nacional Queulat

Um dos passeios mais cansativos, mas que vale cada quil√īmetro rodado (s√£o 600 no total, desde¬† Puerto o Chacabuco), √© o do Lago General Carrera (no lado argentino recebe o nome General San Martin. E √© neste, que √© o maior lago do Chile, que ficam as mais belas obras de arte esculpidas pela natureza: as Catedrais de M√°rmore. S√£o forma√ß√Ķes rochosas que h√° mil√™nios est√£o em processo de escava√ß√£o pelas √°guas. Ao cortar o m√°rmore, a √°gua abre galerias, que de t√£o amplas, podem ser visitadas em botes. O passeio dura cerca de duas horas e os barcos s√≥ saem se as condi√ß√Ķes clim√°ticas permitem. Ao final, almo√ßo com mais pisco e vinho.

Patag√īnia

Catedrais de M√°rmore, no Lago General Carrera

Depois de rodar muito pelas estradas, que tal conhecer a regi√£o singrando as g√©lidas √°guas do sul do Chile? De Puerto o Chacabuco parte o catamar√£ Chait√©n, que leva os turistas em uma longa viagem at√© a Laguna San Rafael. S√£o quatro horas navegando com todo conforto e refei√ß√Ķes e bebidas inclu√≠das. Apesar da dist√Ęncia, a lagoa √© dona de um dos monumentos mais impressionantes do mundo, a Geleira San Rafael.

Patag√īnia

Bote do catamarã Chaitén leva turistas próximo da Geleira San Rafael

O glacial √© uma massa de gelo em um √°rea de 700 quil√īmetros quadrados de extens√£o, 70 metros de altura e 200 de profundidade. O catamar√£ Chait√©n para pr√≥ximo ao pared√£o congelado e oferece passeios mais pr√≥ximos, realizados em pequenos botes, de onde se observa com seguran√ßa o desprendimento de gigantescos blocos. Al√©m da impressionante vista, no caminho, peda√ßos gigantescos de gelo transl√ļcidos flutuam pela lagoa e ganham tons azulados, conforme s√£o iluminados pelo sol. Na volta para Puerto o Chacabuco, as quatro horas passam r√°pido para quem gosta de divers√£o. A tripula√ß√£o convida os passageiros a soltar a voz em um divertido karaok√™ e open bar. Quem prefere descansar, pode ficar no primeiro andar do barco, apreciar a vista ou dormir.

Patag√īnia

Peda√ßos de gelo transl√ļcido que flutuam pelas √°guas da Laguna San Rafael

Hospedagem

Patag√īnia

Vista do hotel Loberias del Sur

Al√©m de oferecer toda estrutura para os passeios pelo norte da Patag√īnia, o Loberias Del Sur (www.loberiasdelsur.cl) √© a base mais confort√°vel na regi√£o. Localizado em Puerto o Chacabuco, o hotel quatro estrelas disp√Ķe de apartamentos confort√°veis, academia, loja de roupas e suvenires, sauna, piscina e restaurante com menu assinado por um chef. Um ponto favor√°vel √© que, mesmo quando o passeio termina tarde da noite, o hotel estende o jantar, para que o h√≥spede n√£o fique sem refei√ß√£o. E se o passeio sai muito cedo, como para a Laguna San Rafael (√†s 7h), o Loberias abre o restaurante mais cedo ou ainda oferece um caf√© r√°pido no lobby. Outra comodidade √© o transfer de e para o aeroporto de Balmaceda. Basta o h√≥spede informar o hor√°rio do voo e o hotel providencia o transporte no momento mais adequado.

 

Leia meus posts sobre o Chile

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram 

Patag√īnia

Eduardo Gregori na Laguna San Rafael

Dez lugares para ver neve na Gr√£-Bretanha

Por Eduardo Gregori em 28/12/2017

Gr√£-Bretanha

Houve um tempo em que o inverno era t√£o intenso na Gr√£-Bretanha que at√© o rio T√Ęmisa ficava congelado. Mas nas √ļltimas d√©cadas a temperatura ficou mais amena e a neve passou a ser ansiosamente aguardada por muitos.

Conheça 10 lugares da Grã-Bretanha que ficam deslumbrantes quando os flocos de neve começam a cair.

ESC√ďCIA

1. Glencoe, Highlands

Gr√£-Bretanha

Você talvez reconheça esta paisagem de um dos filmes de James Bond, Operação Skyfall. Este é provavelmente um dos pontos turísticos mais famosos das Terras Altas. E não é só a beleza que atrai os visitantes até o vale de Glencoe Рa região foi palco de um dos maiores massacres da história do país, em 1692. Durante o inverno o vale fica especialmente belo Рparece até uma pintura!

2. Ben Nevis, Highlands

Gr√£-Bretanha

Ben Nevis √© a montanha mais alta do Reino Unido e sempre fica coberta de neve no inverno, entre dezembro e fevereiro. Se voc√™ contratar uma excurs√£o pelas Highlands, certamente passar√° por aqui. Aqui fica uma das esta√ß√Ķes de esqui mais famosas do pa√≠s, inclusive com sistema de telef√©rico (Mountain Gondola).

3. Cairngorms, Highlands

Gr√£-Bretanha

Al√©m de uma bela paisagem, a cordilheira Cairngorm nas Terras Altas conta com o resort de esqui mais bem equipado da Esc√≥cia. Al√©m da esta√ß√£o Cairngorm, a cordilheira conta com outras duas, The Lecht e a esta√ß√£o Glenshee. O ac√ļmulo de neve costuma ser mais que suficiente para manter as esta√ß√Ķes funcionando no inverno, mas caso voc√™ n√£o goste de esquiar, poder√° apreciar as montanhas vistas da estrada, no caminho entre Inverness e Edimburgo.

4. Rannoch Moor, Highlands

Nas estradas cênicas das Terras Altas há sempre uma paisagem bonita o suficiente para fazer você descer do carro, mesmo que esteja um frio congelante do lado de fora. Rannoch Moor é um destes lugares, aliás, belo em qualquer época do ano. A incidência de neve por aqui é comum, deixando tudo branquinho, branquinho.

INGLATERRA

5. Londres

Gr√£-Bretanha

Londres pode até não ter uma paisagem nevada selvagem, mas há algo de especial em ver a cidade se transformar quando a neve cai. Tudo fica mais calmo e silencioso, e aos poucos as pessoas entram no clima e começam a deixar rastros de bonecos de neve no caminho para o trabalho. Os melhores se concentram nos parques da cidade Рdos mais centrais, como St James Park, aos mais afastados, como Hampstead Heath e Richmond Park.

6. Parque Nacional Lake District

Gr√£-Bretanha

O Distrito dos Lagos em Cumbria é sempre uma boa opção para quem gosta de caminhar e admirar belas paisagens. Quando cai, a neve vem em pouca quantidade por aqui, mas não se deixe enganar pelo céu limpo e dias ensolarados: de uma hora para outra as temperaturas podem cair drasticamente. Esteja preparado e aproveite.

7. Box Hill, Surrey

Gr√£-Bretanha

Tren√≥s e tobog√£s s√£o itens obrigat√≥rios para quem visita Box Hill, uma sequ√™ncia de colinas que se estende de Farnham at√© as famosas White Cliffs de Dover. Como a regi√£o costuma ter ac√ļmulos de neve, guerras de bolinhas s√£o inevit√°veis! Fica o aviso ūüôā Se quiser fazer um passeio com vistas das North Downs, siga as winter walks sugeridas pela National Trust.

8. Oxford & Cambridge

Gr√£-Bretanha

Poucas coisas s√£o t√£o belas quanto as constru√ß√Ķes hist√≥ricas de Oxford e Cambridge cobertas de neve.

PA√ćS DE GALES

9. Parque Nacional Brecon Beacons

Gr√£-Bretanha

Uma das regi√Ķes mais belas do Pa√≠s de Gales, Brecon Beacons est√° a curta dist√Ęncia da capital, Cardiff. Se estiver de carro ou em excurs√£o poder√° fazer um √≥timo proveito deste parque nacional, que √© cercado por vilarejos ador√°veis. Aproveite e d√™ um pulinho na destilaria Penderyn, famosa por seu puro malte produzido com as √°guas da montanha.

10. Parque Nacional Snowdonia

Gr√£-Bretanha

Em ingl√™s arcaico ‘Snowdon’ significa colina de neve, ent√£o j√° √© de se esperar que a segunda montanha mais alta do Reino Unido fique branquinha durante o inverno. E o visual de todo o Parque Nacional do norte de Gales √© realmente deslubrante: a paisagem de Snowdonia √© marcada pelos picos encrespados e atmosfera selvagem, que fica simplesmente fascinante durante o inverno. Se quiser saber mais sobre Snowdonia e o norte do Pa√≠s de Gales

Cuidados b√°sicos
Condi√ß√Ķes clim√°ticas s√£o sempre imprevis√≠veis e devem ser tratadas com cautela. Antes de aventurar-se em campo aberto ou subindo as montanhas, certifique-se de tomar alguns cuidados b√°sicos:

РAntes de sair, consulte sempre a central de meteorologia do Reino Unido, Met Office. O aplicativo para celular fornece detalhes importantes, como sensação térmica.

РVista-se apropriadamente para baixas temperaturas, com roupas resistentes à umidade e ao vento;

РNão recomendamos a escalada de montanhas ou prática de esqui sem a presença de um guia local;

– Consulte sempre os sites oficiais das atra√ß√Ķes e regi√Ķes antes.

Fonte: Visit Britain

Leia meus posts sobre o Reino Unido

V√ćDEOS E REDES SOCIAIS
Assista ao Programa Eu Por Aí e se inscreva no nosso canal no YouTube
Curta nossa p√°gina no Facebook
Curta nosso perfil no Instagram