Borboletas no Altar: 7 dicas importantes para realizar um casamento incrivél!

Por Lívia Komar em 17/08/2018

  • A primeira dica é iniciar a organização do casamento com
    bastante antecedência, com um ano e meio a dois anos antes da
    data estabelecida pelos noivos. Assim podem ir pagando os itens
    essenciais como buffet, local, decoração, fotografia e filmagem
    entre outros com calma e se tiverem uma boa reserva financeira
    antes de iniciarem os preparativos é melhor ainda.
      Em segundo lugar, a palavra chave de um casamento é: planejamento, pois sem organizar suas finanças e possíveis gastos é possível que o casal acabe se endividando.
      A terceira dica é fazer contrato para todos os fornecedores, até
    mesmo os pequenos detalhes, como lembranças pois um atraso
    causa um efeito cascata nos demais itens. Portanto, é muito importante
    que os noivos tenham o respaldo do documento, mesmo que o
    fornecedor afirme ser desnecessário.
      A quarta dica é deixar o casamento como um todo
    com a “assinatura” dos noivos, com seu estilo em todos os detalhes,
    desde o convite até os pequenos detalhes, como as lembranças dos convidados.
      Em relação ao número de convidados cabe ao casal decidir, mas o importante é convidar pessoas que realmente participam da vida dos noivos, amigos próximos e familiares.
      A quinta dica é realizar vários orçamentos antes de fechar
    os contratos e negociar valores sempre que possível, além de
    buscar os fornecedores que tenham excelentes referências no ramo.
      A sexta dica é contratar um ótimo cerimonial para ajudar os noivos tanto no dia quanto na preparação da festa como um todo, fazendo os orçamentos, indicando bons
    profissionais e cuidando de tudo no dia, para que os noivos possam aproveitar cada segundo do casamento sem preocupações.
      Mas a última e a mais importante para as noivinhas borboletas é: Celebre esse grande dia da forma
    que puderem, pois é realmente uma data divina e inesquecível,
    que merece ser comemorada com aqueles que moram em nosso
    coração!
    Por Fernanda Andrade Calegari, Master do Clube da Borboleta, recém casada e apaixonada pelo Universo do Casamento.

A importância da vacina contra Sarampo e Paralisia Infantil

Por Lívia Komar em 12/08/2018

A poliomielite é uma doença contagiosa aguda, causada pelo Poliovírus (sorotipo 1,2 e 3), vírus que vive no intestino. A pólio é uma enfermidade viral, que pode afetar os nervos e causar paralisia parcial ou total.

A infecção é feita por via fecal-oral, ou seja, sua transmissão ocorre através do contato direto das fezes ou com secreções que saem pela boca da pessoa infectada. Assim, o vírus começa e penetra na garganta ou nos intestinos. A partir destes pontos, se espalha para a corrente sanguínea e pode alcançar até mesmo o cérebro.

A poliomielite ficou muito conhecida como paralisia infantil, pois quando ainda era epidêmica, a doença se manifestava principalmente em crianças de até quatro anos de idade. Por atacar o sistema nervoso, a infecção faz com que o paciente perca a força muscular e o reflexo, além de destruir os neurônios motores.

Sintomas

Os sintomas da poliomielite são muito difíceis de serem detectados, pois eles são os mesmos de outras doenças virais respiratórias, como gripe, febre, dores de garganta, ou infecções intestinais, como vômito, dores no abdômen e prisão de ventre.

O período de incubação da doença geralmente ocorre de sete a doze dias. A paralisia costuma afetar principalmente os membros inferiores. Em alguns casos, quando as células dos centros nervosos sãos infectados, a pólio pode ser mortal.

A Vacina

Hoje, graças a vacina, a Poliomielite foi erradicada dos países desenvolvidos. Porém, ela ainda é recorrente em alguns países da África e da Ásia. No Brasil, o Governo Federal faz uma campanha de imunização anualmente contra a pólio, para crianças de 6 meses até 5 anos incompletos.

Um grande problema, que preocupa as autoridades brasileiras, é que durante as campanhas, amplamente divulgadas, muitos pais deixam de vacinar seus filhos, às vezes, por desconhecer o sofrimento que a doença pode causar tanto para o enfermo quanto para sua família.

Caso você tenha uma criança em casa que ainda não foi vacinada contra a Pólio, não perca tempo e vá até a unidade de saúde mais próxima.

A nova Campanha Nacional de Vacinação Contra a poliomielite e sarampo vai até o dia 31/08. O dia D de mobilização nacional será no próximo sábado, 18 de agosto, quando os mais de 36 mil postos estarão abertos. Procure o posto de saúde mais próximo e leve seu pequeno para vacinar, vamos cuidar dos nossos futuros campeões!

Fonte: Mistério da Saúde

  

Potira Narjara é administradora, mãe, apaixonada pelo mundo da maternidade e membro do clube da borboleta.

A coragem de dizer não

Por Lívia Komar em 10/08/2018

Você sabe dizer não? Consegue negar algo sem sentir culpa ou peso na consciência?? Se a resposta for sim, está na hora de rever esse conceito.
Pessoas que concordam com tudo tem maior probabilidade de se submeter a situações desconfortáveis e sofrer abusos… Afinal, se você é vista como uma pessoa “boazinha” por sempre fazer o possível e o impossível para não desagradar as pessoas, acabará automaticamente sendo muito desagradado.
Falar não pode ser muito difícil no começo, mas pare e pense:
– Quantos “nãos” você já ouviu na vida?
Ouvimos não desde muito pequenos, e nos adaptamos a isso.
Dizer não é de suma importância na relação com o outro. Pode-se resolver muitas pendências dentro de qualquer relacionamento se uma das partes disser que não está satisfeita. Dizer não é dar oportunidade de evolução… Precisamos passar por frustrações para que possamos crescer; e é exatamente aí que o não se encaixa!
Concordar sempre com tudo coloca o indivíduo em uma posição pacificadora.
Quem tem dificuldades de dizer “não” acaba sofrendo em silêncio, e pode vir a perder a paciência em horas impróprias, às vezes por motivos banais.
Porque então, é tão difícil falar não? Porque dizer não implica diretamente em tomar decisões, e para muitas pessoas, tomar decisões é algo extremamente difícil e doloroso.
Se dizer essa palavrinha te causa tristeza e desconforto, procure ajuda na terapia. Dizer não, é sim, libertador e necessário!

Letícia Neto Ruiz é Psicóloga Clínica e Institucional, Consteladora Sistêmica Familiar e Moderadora do Clube da Borboleta.

 

Borboletas no altar: como planejar os compromissos do grande dia!

Por Lívia Komar em 03/08/2018

 O dia em que acontecerá o casamento precisa ser muito especial para a noiva para que esteja tranquila na hora do casório.

 Por isso, as atividades programadas para este dia precisam ser planejadas com carinho e atenção para que não haja nenhum imprevisto, afinal atrasar no casamento está ultrapassado, certo noivinhas?

 Neste dia serão feitos o penteado e a maquiagem, que precisam ser o sonho da noiva com a ajuda dos profissionais envolvidos, marcados combastante antecedência (6 meses pelo menos), no salão de beleza da preferência da noiva.

 Alguns oferecem o “ dia da noiva”, que são pacotes que incluem diversos serviços de beleza, tais como massagens, manicure e pedicure, brinde com madrinhas e mães, coffee break para quem acompanha a noiva, entre outros além do cabelo e maquiagem do grande dia.

 É importante realizar o teste de cabelo e make para ver se ficará como a noiva desejou ou se ocorrerão mudanças no que foi escolhido por ela. Os acessórios geralmente são levados para o teste, como tiaras, porta-coques ou coroa, além dos brincos escolhidos.

 É interessante se a noiva puder provar o vestido no dia do teste para visualizar o look todo.  É  importante também ter uma boa noite de sono, um café da manhã e almoço saudáveis com comidas leves e água e sucos  naturais.

  Peça que alguém próximo cuide de algum possível problema relacionado ao casamento, afinal com os compromissos marcados você não poderá fazer nada e não deve ficar chateada nesse lindo dia para você e seu escolhido.

Fernanda Andrade Calegari, recém casada é Master do Clube da Borboleta e apaixonada pelo Universo do Casamento.

A importância dos avós na vida

Por Lívia Komar em 27/07/2018

A importância de ter avós em nossas vidas.

Não importa quantos anos tenha… Para os seus avós, você sempre será aquela criança que precisa de cuidados especiais, um bombom e um abrigo quando sair de casa. Porque eles prevêem que vai esfriar e você vai adoecer. Tem sempre a mão uma boa caneca de chá e um remedinho antigripal.
Alguém me disse uma vez que avós são doces na vida dos netos. Trazem leveza, doçura e acalento na hora certa… Te olham com carinho quando você faz algo de errado, amenizam os castigos e fazem vistas grossas para as traquinagens. Ah! Que atire a primeira pedra quem nunca teve uma travessura acobertada pelos avós.
Quando lembro da minha infância com os meus avós paternos, por um instante chego a sentir o cheirinho de talco. Sinto também o perfume do bolinho de chuva pela casa. Sinto cheiro da horta molhada… e chego a sentir o gostinho do chá de hortelã e da laranja lima servidos nos piqueniques feitos na garagem. E inevitavelmente sinto saudades! De ficar horas dentro de um Opala com o meu avô brincando de taxista, e também de ficar em cima da máquina de costura da minha avó enquanto ela confeccionava roupas para as minhas Barbies. Tudo muito simples, mas com muito amor e paciência. Acho até que paciência deveria fazer parte do sobrenome dos avós.

O papel dos avós vai muito além de ninar e brincar. Em meio a boas histórias, muita cumplicidade e companheirismo, avós tem o papel de cuidar e educar. É uma troca justa. Enquanto cuidam dos netos, sentem-se importantes e socialmente valorizados. Sentem-se com vida.
Com certeza, a casa dos avós é um lugar mágico, onde pode-se fazer brigadeiro no meio da semana, sem precisar ser dia de festinha… Pode-se extrapolar a soneca da tarde em mais de 1 hora sem receber avisos a todo minuto. Os netos sempre ganham um dinheirinho para tomar sorvete ou comprar um lanche na escola. Tudo muito bem orquestrado, porque senão os pais não vão deixar. Bobagem… Faz parte!
E quando fazemos aniversário, o melhor presente que ganhamos é sempre dos avós, já repararam?! Eles compram “uma lembrancinha” ( como gostam de afirmar) com tamanho carinho, que é impossível não amar! Melhor que o presente, só mesmo o cartãozinho de parabéns, sempre contendo os melhores desejos de felicidade envoltos em uma letrinha já trêmula e cansada.

A geração dos avós com cabelo de algodão está no fim. Os adolescentes de hoje tem vovós esportistas e conectados à internet. Os cabelos acinzentados deram lugar a cabelos pintados, e os jornais e revistas foram substituídos pelos sites de notícias. Não podemos negar que mudanças são sempre bem vindas; mas afirmo com clareza que a infância com os avós à moda antiga era muito, muito feliz.

Se você ainda tem, ou teve essa presença em sua vida, certamente é uma pessoa muito privilegiada.

Letícia Neto Ruiz tem 38 anos, é Psicóloga Clínica Infantil e Adulto. Consteladora Sistêmica Familiar e Moderadora do Clube da Borboleta. Teve os melhores avós do mundo.           

Quando me sinto…

Por Lívia Komar em 23/07/2018

Como você lida com suas emoções?

Sabe reconhecer os sentimentos expressados pelas outras pessoas?

E quando reconhece, o que faz com isso?

Você consegue compreender o que sente e o que as outras pessoas demonstram sentir?

Sabe como é… Se nem depois de adultos damos conta de fazer isso direito, é importante darmos à turminha um espaço para falar sobre suas emoções e serem acolhidos. Pensando nessa necessidade vital que é a reflexão e compreensão sobre o que sentimos, o que fazemos o outro sentir e o reconhecimento das emoções das pessoas, escolhi esses livros da Trace Moroney que abordam este tema, para dar uma forcinha!

Trace Moroney é uma psicóloga infantil que publicou essa coleção de oito livros e cada um, fala sobre um sentimento diferente. No livro há um personagem, um coelho, que expressa seus sentimentos e situações em que esses podem surgir e o que fazer para ameniza-los. São eles:

Quando me sinto Feliz

Quando me sinto Irritado

Quando sinto Inveja

Quando sinto Medo

Quando me sinto Amado

Quando me sinto Sozinho

Quando me sinto Triste

Quando me sinto Bondoso

“Falar sobre os sentimentos ensina a criança que, de vez em quando, é normal sentir-se triste, zangada ou assustada. Com uma tolerância maior em relação aos sentimentos mais dolorosos, a criança torna-se livre para desfrutar seu mundo, para sentir-se segura com suas habilidades e ser feliz. E crianças felizes têm autoconfiança necessária para lidar com as dificuldades e também para libertarem-se da insegurança e, assim, ficarem abertas para a vida e todas as suas possibilidades.” (Melbourne, psicóloga infantil, 2005)

Fica a dica da leitura para trabalhar com as crianças.

 

Potira Narjara é administradora, mãe, apaixonada pelo mundo da maternidade e membro do clube da borboleta.

BORBOLETAS NO ALTAR: Como fazer a lista de presentes ideal

Por Lívia Komar em 20/07/2018

  • A lista de presentes, assim como a de convidados precisa ser feita
    pelos noivos juntos, afinal o que ganharão será para uso do
    casal. Por isso os noivos precisam definir alguns detalhes
    antes de fazê-la: o estilo da decoração, a cor da residência e o
    tamanho dos cômodos para colocarem itens que caibam
    perfeitamente em seu novo lar.
    A lista de presentes é importante durante o
    planejamento do casamento, pois ela dará aos convidados a
    certeza do que os noivos gostariam de ganhar e garantirá aos
    mesmos que não receberão presentes repetidos. É
    imprescindível que os noivos coloquem preços diversos para
    que todos os convidados possam comprá-los, portanto, de
    itens mais simples aos sofisticados, que caiba no bolso de
    todos os convidados.
    Uma lista inicial feita pelo casal servirá de base para
    encontrarem as lojas ideais, em torno de duas a três que
    tenham diversos itens e várias escolhas possíveis, tudo o que
    for relevante para o casal ser presenteado.
    É importante verificar as condições que as lojas darão de
    garantia aos noivos e convidados, qual será o prazo de entrega
    dos presentes e se cobrarão frete. São detalhes pequenos, mas
    que fazem toda a diferença. Afinal quanto mais comodidade e
    facilidade para todos, melhor.
    Conhecer as lojas pessoalmente permite aos noivos ver
    não só os itens da loja, mas também o atendimento que seus
    convidados receberão caso façam a compra pessoalmente.
    Nesse primeiro momento itens da moda devem ficar em
    segundo plano, procure dar prioridade os itens essenciais
    para colocarem na lista de presentes como eletrodomésticos,
    taças, panelas, copos, etc. O que for da moda o casal compra
    em um segundo momento com os itens necessários em uso no
    cotidiano.
    Existe ainda a opção de créditos para a Lua de Mel, para
    casais que já tenham sua casa montada, que o convidado
    contribui financeiramente de acordo com suas condições,
    ajudando o casal na viagem de Lua de Mel.
     Fernanda Andrade Calegari, recém casada, Master do Clube da Borboleta e apaixonada pelo Universo do Casamento.

Quando o Fisco entra em campo!

Por Lívia Komar em 18/07/2018

Em tempos em que o cruzamento de dados entre as instituições é tão presente, não é novidade que o Fisco – municipal, estadual e federal – analisa as informações fornecidas pelos contribuintes em busca de divergências, equívocos no cumprimento de obrigações, operações não declaradas ou tributadas a menor.

Pode acontecer, porém, de o Fisco não ter provas suficientes para já lavrar uma autuação fiscal contra o contribuinte, para exigência de tributos e/ou multa. Nesses casos, o procedimento utilizado pela Fiscalização é emitir notificação/intimação fiscal, solicitando que o próprio contribuinte apresente documentos e esclarecimentos sobre determinada situação e período.

Não é incomum, no entanto, que o Fisco ultrapasse sua competência de fiscalização e exija informações e documentos que o contribuinte não está obrigado por lei a entregar. Se transmitidos, tais documentos servirão de prova para lavratura de autuação fiscal.

Fazendo um paralelo com o momento atual, de Copa do Mundo, o contribuinte é a seleção brasileira, enquanto o Fisco representa a equipe da Argentina, da Alemanha ou da Bélgica. Uma situação é certa: do outro lado os jogadores estão prontos – e sedentos –   para fazer gol. Porém, assim como em um jogo de futebol, ora a bola estará nos pés do Fisco, ora nos do contribuinte. E ganhará o jogo o time que conseguir montar a melhor estratégia, antevendo a próxima jogada da equipe contrária.

Ao receber uma notificação fiscal, portanto, compete ao contribuinte escalar sua melhor equipe e tentar reverter o jogo. Se bem assessorado por um profissional da área tributária durante essa fase, o contribuinte pode evitar futura autuação fiscal (ou, caso realmente exista alguma divergência, ao menos diminuir o valor dessa autuação).

Afinal, ao antever os riscos de uma autuação fiscal e estar ciente dos seus direitos e limites de atuação do Fisco, o contribuinte consegue, durante a fase de notificação fiscal, jogar em pé de igualdade com a Fiscalização.

Assim, escolha a equipe que jogará com você e a seu favor. O recebimento de uma notificação fiscal não pode – e nem precisa – representar um 7×1 contra a sua empresa.

Natália Mataruco é administradora do Clube da Borboleta e advogada das áreas de Direito Tributário e Direito Penal Tributário.

Férias das crianças, o que fazer?

Por Lívia Komar em 15/07/2018

As férias da criançada sempre é um momento muito esperado – pelo menos por elas. Nesta época muitas vezes os pais não estão preparados para ficarem com os pequenos em casa. Em julho pode acontecer de ter férias para os filhos, mas não para os pais. É quando bate o desespero e ficamos preocupados com o que fazer para alegrar nossos pequenos.

Para os pais esse período de férias escolares é um desafio para criatividade. São muitos dias de ócio em casa e o ideal é que as crianças não passem por eles em frente à uma tela seja do celular, tablet ou tv.

É normal que os pais fiquem confusos sobre o que planejar para as crianças fazerem todos os dias. Por isso, é tão importante destinar alguns momentos para pensar sobre esse período. Algo que não pode ser deixado de lado é o fato de que as férias servem para relaxar e preparar para o novo ciclo letivo que está por vir.

Para ajudá-lo a planejar o período de férias das crianças, separamos uma série de sugestões. As ideias de atividades são apenas exemplos para servir de inspiração. É importante selecionar atividades que tanto você quanto seu filho gostem e tenham tempo para completar.

Ideias de programas ao ar livre

  • Visitar parques e praças da cidade
  • Preparar uma viagem no fim de semana para uma cidade próxima
  • Ir ao parque de diversões
  • Passar o dia na casa de alguém da família ou de um amigo
  • Ir ao shopping
  • Peças de teatro, cinema ou animações na rua também são opções divertidas
  • Fazer um pic nic com os colegas
  • Desenhar com giz na rua e calçadas
  • Campeonato de pipa, bicicleta, carrinho de rolimã ou até patins

Ideias de programas para fazer em casa

  • Preparar comidas simples, como pipoca, bolo e brigadeiro
  • Brincar com jogos educativos
  • Pintar e colorir
  • Organizar um campeonato de karaokê
  • Brincar com instrumentos musicais
  • Brincar de massinhas
  • Planejar uma noite do pijama
  • Planejar um chá de bonecas com as amigas
  • Confeccionar seu brinquedo com materiais reciclados

Entreter as crianças cheias de energia nem sempre é fácil. Por isso, basta um pouquinho de paciência e criatividade que tudo se resolve. Divirta-se!

 

Potira Narjara, 29 anos, administradora, mãe e apaixonada pelo mundo da maternidade.

A importância do brincar no desenvolvimento infantil

Por Lívia Komar em 13/07/2018

 

Segundo Donald Winnicott, pediatra e psicanalista inglês, o brincar é uma atividade de suma importância para o desenvolvimento infantil. Durante a brincadeira, encontramos na criança diferentes formas de expressão. Sentimentos como felicidade, prazer, frustrações e medos são expressos através de jogos e brincadeiras.
É através do brincar, que a criança vivencia muitas questões relacionadas ao bem estar. Brincar é o principal meio de observação e interação com o mundo.
As brincadeiras tem de estar de acordo não só com a faixa etária da criança, mas também com a condição motora e intelectual.
Por volta das 03 anos, a criança entra no mundo das histórias infantis, o famoso mundo da fantasia. Através do faz de conta, ela consegue compreender o papel do adulto, aprende a se comportar- e a se portar- como seus pais e avós.
O brincar possibilita a criança encarar seus medos e angustias, elaborando e resolvendo seus conflitos internos. Possibilita também a criança aprender a partilhar, a cooperar, a dividir e a emprestar; ou seja, brincar trás inúmeros benefícios às crianças.
O ambiente onde o bebê habita precisa ser seguro o suficiente para que ele possa brincar e explorar. Abrir a porta de um armário cheia de tapauers para o bebê, é uma brincadeira e tanto!
Brincar desenvolve a psicomotricidade da criança, além de combater o sedentarismo e a obesidade. Ajuda a criança a ter noção espacial, gera resiliência, pois a frustração de perder no jogo vai ajudá-lá a administrar melhor as decepções.
O papel dos pais é muito importante, afinal são eles que proporcionam aos filhos um ambiente acolhedor e enriquecedor de imaginação infantil. O adulto deve participar das brincadeiras, gerando maior interação com as crianças, além do estreitamento de laços efetivos. Brinque com as crianças sem moderação!

Letícia Neto Ruiz é Psicóloga Clínica Infantil, Consteladora Sistêmica Familiar e Moderadora do Clube da Borboleta.