VAMOS FALAR DE FINANÇAS NAS FESTAS DE FINAL DE ANO?

Por Lívia Komar em 05/12/2017

Chegou o Natal, afinal o ano termina… mas começa outra vez.

Você adora dar presentes e curtir as festas de final de ano de forma pomposa? Ah, ainda quer viajar? Você conseguiu economizar durante o ano e fez uma poupança para esses gastos extras?

Se não fez, é hora de colocar o pé no freio e não sair pelas lojas comprando presentes para todos  ou aquele monte de roupa nova… simples assim!

Afinal, o ano termina, mas nasce outra vez! E nasce de forma impiedosa, com muitas despesas para as quais devemos estar preparados para não entrar no vermelho!

Pesquisei algumas dicas para entrar em 2018 de pé direito e cabeça erguida, sem a choradeira básica da maioria dos brasileiros, em janeiro:

– Deixe o cartão de crédito em casa: isso evita que você gaste um dinheiro que você não tem, e que acumule parcelas para os primeiros meses do ano vindouro.

– Se quer presentear alguém, combine de trocarem os presentes ao invés de comprar um item para cada pessoa individualmente. Acredite, essa dica é poderosa!

– Você não precisa participar de todos os grupos de amigo secreto. Escolha um mais importante e deixe os outros de lado. Você pode curtir a festa sem entrar no amigo secreto.

– Se não foi possível planejar a viagem de férias com antecedência, deixe para julho ou meses de baixa temporada. Você pode comemorar em casa com sua família, sem empanturrar de comida e ficar mal depois porque ganhou peso com a comilança da qual não precisava.

– Fuja das promoções, se você precisar parcelar… melhor não comprar!

– Evite qualquer compra parcelada! Quase sempre parcelamentos vem com juros embutidos, portanto prefira sempre pagar à vista. Se você não pode pagar à vista, significa que não pode comprar!

– Não comprometa os salários de dezembro, janeiro e fevereiro com as compras de final de ano adquirindo tudo em muitas parcelas ou usando o cartão de crédito em excesso. Lembre-se que o início de ano é cheio de despesas, como mensalidade e material escolares, férias e impostos, como IPTU e IPVA!

Faça bonito para não fazer feio depois, afinal, ninguém vai pagar seus boletos! Mantenha o foco nos seus objetivos!

.

 

 

Eliane Regina é casada, mãe de 3 filhas, graduada em Serviço Social e atua no mercado imobiliário. Apaixonada por crônicas. Também é membro do Clube da Borboleta.

A Força que vem da Força!

Por Lívia Komar em 27/10/2017

O mês de Outubro do Clube da Borboleta foi marcado pela Campanha Outubro Rosa, que alerta para que façamos exames periódicos, prevenção e tratamentos contra o câncer. Portanto hoje, vim falar sobre essas guerreiras que venceram a doença e agora dão forças para as recém diagnosticadas.

Durante o mês, o Clube da Borboleta arrecadou lenços para serem doados no HC Ribeirão. E você pode perguntar: Um lenço?

Sim, doar um lenço a quem está em tratamento, significa doar amor e carinho!

Dentre as quase 200 borboletas que passaram pela Borbosede para fazer sua contribuição para a campanha, elas deixaram também um pouquinhos delas, deixaram fragmentos de suas histórias de luta e vitória! Muitas haviam passado pelo processo, outras sofreram juntamente com amigas, mães e irmãs.

Foram muitos momentos emocionantes! Uma Borboguerreira, contou que estava muito feliz com o engajamento do Clube da Borboleta na campanha, pois ela havia passado pelo processo, e quando estava hospitalizada no HC e o cabelo começou a cair, ela não tinha um lenço ali naquele momento para cobrir a cabeça. Ela sentiu-se totalmente despida e teve a autoestima abalada.

Outra Borbolinda, levou a peruca que foi usada pela mãe, outra levou todos os lenços que ela mesma usou durante seu tratamento, dizendo que juntamente com os lenços, ela estava levando toda a boa sorte que ela teve durante seu processo. E em depoimentos emocionados, elas disseram que estavam deixando seus lenços em forma de amor!

Ouvi um outro depoimento de uma borboleta, que disse ter auto declarado sua cura, após o impacto do diagnóstico. Ela disse que chorou muito e teve muito medo de morrer, mas ao chegar em casa e ver a filha, disse a si mesma que seria só um percalço e que estava curada. Ela nunca se disse doente e usou de uma força sobre humana para dar forças à família. Fez o tratamento e saiu ainda mais fortalecida emocionalmente.

Então hoje, o Clube da Borboleta abraça todas essas vencedoras e, juntamente com elas, abraça também as borboletas que estão em cada momento desse processo, seja prevenção, diagnóstico, tratamento, recuperação e pós. Queremos todas fortalecidas e vitoriosas!

Sabemos que o câncer afeta de diversas formas, mas as atitudes que cada uma tem, fazem toda a diferença!

.

 

Eliane Regina é casada, mãe de 3 filhas, graduada em Serviço Social e atua no mercado imobiliário. Apaixonada por crônicas. Também é membro do Clube da Borboleta.

 

… e rolou muita festa!

Por Lívia Komar em 18/10/2017

Quem ainda não conhece os eventos do Clube da Borboleta não sabe o que está perdendo!

No sábado, dia 07 de Outubro, aconteceu na Recra a BorboFest, uma linda festa a fantasia! De fato, faltam palavras para descrever tudo o que rolou e o quanto esse evento significou para muitas borboletas que estiveram presentes.

O que eu pude observar?

Interação, diversão, encontro entre pessoas de diferentes idades, muita criatividade nas fantasias, união e respeito!

O Clube da Borboleta, que normalmente recebe suas integrantes, teve a honra de receber um público diferente: jovem, alegre, despojado, entre maridos, amigos, familiares, que dançou muito ao som da banda Os Virgens.

Para muitos, foi uma balada em família, coisa que andava meio perdida, foi como resgatar algo do qual sentimos falta, mas não sabemos bem o que é. Só vivenciando um momento único como esse para saber com exatidão do que estou falando!

Mas não parou por aí…  houve outro evento  tão especial quanto a festa a fantasia. Sim, porque o Clube da Borboleta não para! Estou falando do Dia Divertido que aconteceu no último dia 10 na BorboSede em comemoração ao dia das crianças.

Foram muitas brincadeiras e interação! E enquanto as crianças brincavam e se divertiam, as mamães borboletas puderam interagir, fazer novas amizades, curso de maquiagem, se deliciar com uma massagem relaxante, ou fazer comprinhas no mini brechó e no mini bazar.

Esse evento teve cunho social, através de uma campanha que teve início há um mês, em que foram arrecadados brinquedos novos e semi novos. E assim, o Clube da Borboleta pode beneficiar uma média de 200 crianças assistidas pela instituição Saica, onde as doações foram entregues, para alegria dos pequenos que tanto precisam desse carinho!

O Clube da Borboleta está imensamente grato a todas que passaram pela BorboSede para deixar um pouquinho do seu amor! Esta foi 13° ação do clube da borboleta em 2017.

Vem mais por aí…

 

.

 

 

Eliane Regina é casada, mãe de 3 filhas, graduada em Serviço Social e atua no mercado imobiliário. Apaixonada por crônicas. Também é membro do Clube da Borboleta.

Simplificando a Compra do seu imóvel

Por Lívia Komar em 04/10/2017

No artigo “Torne seu imóvel mais atrativo para o mercado”, publicado em 12.04.2017, foi evidenciado algumas diretrizes que devem ser observadas pelo cliente “proprietário do imóvel”, visando possibilitar a venda de maneira eficiente e eficaz.

Hoje, o objetivo principal deste artigo é trazer orientações ao cliente “comprador do imóvel”, com vistas a consolidar a relação “ganha-ganha” no fechamento da negociação imobiliária.

Atuando na área de consultoria imobiliária, tenho a oportunidade de atender vários clientes “compradores de imóveis” que necessitam de orientações para que a realização do objetivo aconteça da forma mais tranquila possível. 

Que tal simplificarmos um pouco, e tornar esse momento prazeroso?

É isso mesmo, você leu corretamente! Basta seguir algumas dicas!

Antes de ligar ou enviar e-mail a várias imobiliárias, reflita!

Para tomar a melhor decisão, é importante que você tenha consciência do que é importante para você e sua família, os objetivos de curto, médio e longo prazo, o que realmente vocês procuram e principalmente, as condições do seu poder aquisitivo para atender essas necessidades no momento presente.

Faça a si mesmo, algumas perguntas!

Quanto posso gastar? Tenho todo o capital necessário ou precisarei de financiamento? No caso de financiamento, quanto posso assumir em parcelas mensais, considerando meus gastos fixos? Nesse ponto, é válido fazer uma simulação de financiamento disponíveis em diversos sites de instituições financeiras. 

Definido o primeiro passo, é hora de amadurecer a ideia e pensar no que pode comprar, no limite máximo que pode chegar, sem comprometer outros objetivos de vida.

Não obstante, a existência de vários sites desatualizados de imobiliárias, quanto às informações de imóveis, que de fato estão disponíveis à venda, a internet é uma excelente fonte de pesquisas de preços.

Mas nada de sair clicando em todos os imóveis que você visualizar!

A não ser, que esteja disposto a passar os próximos dias atendendo a uma infinidade de anunciantes ou corretores despreparados. E o que era para ser somente uma pesquisa, irá virar um pesadelo!

Escolha um profissional da área (corretor de imóveis) ou uma imobiliária, que se envolva e se comprometa em auxiliá-lo na realização desse objetivo tão importante, que tenha boas referências, com credibilidade e com experiência na área de atuação.

Decida pelo profissional que não esteja limitado a um único empreendimento.

Não omita a informação a seu corretor, caso você precise usar um imóvel de sua propriedade, como parte de pagamento ou vender um outro imóvel antes, Informe o profissional já no primeiro momento. Fale de todas as particularidades, para que ambos possam otimizar o tempo, e que a geração de expectativas na relação “comprador/corretor/vendedor” sejam correspondidas por todos.

Pensando na localização geográfica, considere os pontos importantes para você e sua família. Se tem filhos, pense em como será o acesso deles à escola, ou seu acesso/deslocamento ao trabalho, no que o bairro/proximidades oferece em termos de estrutura de comércio, escolas, tranquilidade e segurança. 

Casa ou apartamento? 

Aqui vale considerar o seu perfil ou da família, em questões como se tem filhos, se gosta de reunir os parentes e amigos para momentos de confraternização, sem tem animais de estimação…

Pensando sobre esses pontos, talvez você opte por imóveis maiores ou menores para atender suas necessidades e com isso, você não venha a se arrepender futuramente por não ter escolhido um imóvel com bom espaço externo/área de lazer enfim, considere os pontos importantes na rotina da família.

Ao agendar as visitas, fique atento aos problemas estruturais como manchas ou fissuras nas paredes, aos ruídos do local, iluminação e ventilação. Abra os armários e verifique se não há cheiro de mofo que são características de infiltrações. Lembrando que a maioria dos imóveis usados apresentam algum problema, mas eles precisam ser de fácil solução, a não ser que você tenha uma reserva para reforma. Nesse caso, considere o valor para arcar com esses custos posteriormente.

Após definir o imóvel, e antes de formalizar uma proposta, vamos voltar à forma de pagamento!

 Se for optar por financiamento bancário, é hora de solicitar uma aprovação prévia de crédito em duas ou mais instituições, e comparar a taxa de juros.

Aprovado o crédito, é hora de formalizar a proposta. Após a aceitação, seu profissional deverá solicitar as devidas certidões do imóvel e dos vendedores, a fim de garantir segurança na sua compra. 

O profissional que o acompanha, deverá estar habilitado a seguir com esse processo. Devem ser emitidas todas as certidões Cível, Trabalhista, Criminal, protestos, SPC, SERASA. Caso o vendedor possuir empresa, deve-se emitir certidões da Pessoa Jurídica também, certidão atualizada do imóvel, CND de IPTU e condomínio, se houver. 

As instituições financeiras não exigem todas essas certidões, mas elas são importantes para garantir seu investimento. 

Embora nem todas as pendências impossibilitem a venda de um imóvel, elas são necessárias para sua segurança. 

Espero que tenham gostado!

 

.

 

Eliane Regina é casada, mãe de 3 filhas, graduada em Serviço Social e atua no mercado imobiliário. Apaixonada por crônicas. Também é membro do Clube da Borboleta.

O folclore da empatia

Por Lívia Komar em 27/09/2017

Não importa quantos anos você tem. Em algum momento da sua vida, com certeza deve ter ouvido de outras pessoas as seguintes frases: “Você precisa se colocar no lugar do outro” “Gostaria que fizessem isso se fosse com você? ” “Você tem que pensar nos outros” – a empatia está para nós assim como a Cuca está para o Folclore, ela existe em várias narrativas, mas ninguém sabe ao certo qual sua origem e o que é.

Ser gentil com outra pessoa não é ser empático – isso mesmo, a verdade dói. Mas, ser gentil com o outro é ser simpático e isso é outra coisa.

Se colocar no lugar do outro com sua própria vivência também não é ser empático e pode até ser rude. Mas, o que? Exato.

Já ouviram falar da olimpíada de sofrimento? Ela começa assim: um amigo seu comenta sobre um momento difícil que está passando na vida (pode ser uma doença, problema financeiro, amoroso etc.) você automaticamente se coloca no lugar dele com sua vida e diz: “Eu te entendo querido, passei exatamente a mesma coisa no ano tal, mas sobrevivi viu? E digo mais na minha época não existiam os tratamentos que tem hoje…”. Isso não é empatia, as pessoas são diferentes, o modo como elas encaram as situações também, não é porque você passou algo parecido que pode dizer que o outro está sofrendo em vão ou exagerando.

E a Cuca? Digo, a Empatia? O que é afinal? Empatia é tentar sentir o que a outra pessoa sente em determinada situação e compreender suas ações de forma racional analisando o todo a sua volta. Parece difícil e é!

Mas, quando começamos a agir de forma empática dentro da nossa esfera social, percebemos uma grande melhora nos relacionamentos interpessoais e até mesmo no nosso interior porque a empatia reduz as chances de sentirmos remorso e o remorso não é lenda, é dor que corrói de dentro pra fora.

 

 

Lorena, 29 anos, mãe, estudante, historiadora de formação. Atualmente se aventurando em uma nova carreira, Borboleta Master no Clube da Borboleta.

Qual força move você?

Por Lívia Komar em 20/09/2017

Já parou para pensar em qual força te move? De onde vem sua vontade de crescer, de superar as dificuldades e buscar a realização dos seus sonhos?

Diariamente nos deparamos com situações desafiadoras, que nos exigem coragem, força e determinação para fazer a coisa acontecer. Há dias em que os desafios são tantos e tão pesados, que por momentos chegamos a duvidar de nossa capacidade.

Todos nós somos dotados de uma capacidade imensa de superar desafios, através da esperança que existe em cada um de nós! Ela é a chama que nos mantém ligados, vivos e superando os desafios que nos são diariamente impostos.

Vejo diariamente muitas pessoas se dissolverem diante dos obstáculos, completamente estagnados, sem ao menos tentar transpor o primeiro obstáculo.

Sim, vivemos em tempos de crise de toda ordem, e entendo que é nesse momento que precisamos arregaçar as mangas e aprender com as dificuldades, para alçarmos voos ainda maiores.

No inicio de 2016, ouvi uma frase que foi importante para eu desligar a tv, me revestir de esperança e continuar. A frase era assim: “enquanto uns choram, outros vendem lenços!” … e compartilho desse pensamento!

É preciso buscarmos forças em nossas fontes, seja nos filhos, em Deus, em seus sonhos! Deixar a esperança florescer e ir à luta!

É preciso deixar de colocar nossas expectativas nos outros, pensando que o outro vai “te fazer feliz”, que o outro vai prover suas necessidades, e entender que o outro, que está ao seu lado, também tem sonhos e precisa respirar!

Que tal começar a ver além dos seus olhos, além do que está perto de você?

Quando refletimos sobre nosso propósito, nossas ambições e objetivos, sobre o que queremos construir para nós, acabamos nos revestindo de esperança e encontramos a força que precisamos para chegar onde queremos!

E aí… qual força move você?

 

Eliane Regina é casada há 25 anos, mãe de 3 filhas, graduada em Serviço Social mas atua no mercado imobiliário. Moderadora do Clube da Borboleta.

 

 

 

O Clube da Borboleta é um espaço virtual e secreto no Facebook feito para mulheres – entretenimento, mercado de trabalho, amizade, interação, relacionamento, networking. Já são mais de 230 mil membros ativas e apaixonadas por esse ambiente. Não conhece? Clique no link e solicite sua entrada: https://www.facebook.com/groups/ClubeDaBorboleta/

 

 

Município de Ribeirão Preto concede descontos para pagamento de débitos

Por Lívia Komar em 13/09/2017

O Município de Ribeirão Preto instituiu o Programa “Fique em Dia Ribeirão“, destinado aos contribuintes que pretendem quitar suas dívidas tributárias e não tributárias, relativas a fatos geradores ocorridos até 30 de junho de 2017.

É uma boa oportunidade para regularizar débitos de IPTU, ISSQN, ITBI, taxas municipais, dentre outras pendências junto ao Município de Ribeirão Preto.

Nos termos da legislação municipal, os descontos serão os seguintes:

– Multa moratória: 90% (Pagamento à vista) e 50% (Parcelamento em até 60 meses)

– Juros moratórios: 100% (Pagamento à vista) e 50% (Parcelamento em até 60 meses)

– Multa punitiva: 50% (Pagamento à vista) e 25% (Parcelamento em até 60 meses)

No caso de parcelamento, se realizado em até 12 vezes, o valor mínimo da parcela será de R$ 100,00; se de 13 a 36 vezes, de R$ 300,00; se acima de 36 vezes, R$ 1.000,00.

Além disso, o contribuinte que parcelar seu débito, optará pela  aplicação de juros mensais prefixados e estipulação de valor fixo de parcela, mediante recolhimento de montante inicial de 50%, 30% ou 10%, conforme tabela prevista pela norma municipal ou, então, seguirá as regras do parcelamento ordinário, isto é, o valor das parcelas será mensalmente corrigido pela SELIC.

No caso de parcelamento de débitos objetos de ação judicial, o valor referente a honorários advocatícios será incluído no valor a parcelar. Já as custas judiciais deverão ser recolhidas por ocasião do pagamento da primeira parcela do acordo moratório.

O atraso no pagamento de qualquer parcela por prazo superior a 60 dias acarretará a rescisão do parcelamento.

O contribuinte interessado no Programa “Fique em Dia Ribeirão” deverá protocolar requerimento solicitando adesão na Secretaria Municipal da Fazenda ou no Poupatempo até o dia 31 de outubro de 2017.

 

Nathália Luiza Moré Mataruco é borboleta e advogada das áreas tributária e penal tributária.

 

O que é ser mulher?

Por Lívia Komar em 30/08/2017

Ser mulher é se olhar no espelho e sorrir para um novo dia.

Ser mulher é querer todas as roupas de uma loja enquanto a loja inteira já está dentro do seu armário.

Ser mulher é não querer tirar foto porque não está maquiada.

Ser mulher é xingar o amigo ou a amiga na TPM e mesmo assim manter a amizade.

Ser mulher é se apaixonar mil vezes e se ferrar mil vezes. É se apaixonar pelo mesmo cara, e esquecer, e lembrar, e chorar, e doer.

Ser mulher é ter pelo menos um amigo gay que é lindo de morrer.

Ser mulher é ir ao banheiro acompanhada de outra mulher, senão não é mulher.

Ser mulher é falar mal do vestido da outra e morrer de vontade de ter um igual.

Ser mulher é colocar a mão no peito e sentir que pode fazer o coração bater mais forte por ele.

Ser mulher é se renovar todo dia e sair do óbvio.

Ser mulher é ser incrível. Ser mulher é tudo isso e mais um pouco.

Ser mulher é ler esse texto e se identificar com cada palavra que foi escrita com o coração de um amigo que valoriza cada uma de vocês.

Ser mulher é ser borboleta, se renovar, bater as asas e voar!

 

 

Rodrigo Colucci é mais conhecido nas redes sociais como Amigo Colorido. Publicitário que  influencia as marcas digitalmente  através de dicas de relacionamento amoroso, eventos e lifestyle.

Você conhece os provérbios?

Por Lívia Komar em 23/08/2017

Qual o estilo do seu pai?

Por Lívia Komar em 16/08/2017

Em homenagem a esse dia muito especial celebrado no último domingo, faço uma reflexão sobre os diferentes estilos de uma das pessoas mais importantes em nossas vidas…

 

Nosso pai!

 

Quanto aos estilos temos os autoritários, permissivos, indulgentes, democráticos, fanfarrões, o “paidrastro” e até os negligentes.

 

E quanto as “tribos”?

São tantas…

Existem os cosmopolitas, os urbanos somente, os rurais, tatuados, os certinhos e os sociais. Cada um com suas particularidades, com seu charme e sabedoria única.

Em algum momento da vida, assim como as mulheres, eles também são tomados pela notícia da paternidade, e com uma diferença nada sutil das mulheres, aprendem a amar sem gerar no ventre, e de uma forma ainda mais intensa, porque não sentem aquele “serzinho” e nem os incômodos da gravidez, típica das mulheres!

Sentem medo, ficam inseguros, e pensam em todas as possibilidades de proporcionar aos filhos, todo o conforto e segurança necessários para um desenvolvimento saudável para que nada os falte.

Entram em uma neura de trabalho infindável, dobram turno, ficam exauridos, e ainda buscam um tempo para trocar uma ou outra fralda, contar uma história, levantar a noite para aferir a temperatura, brincar no final de semana, entre outras coisas.

E muitas vezes acabam meio esquecidos de seu principal papel, de que são pais e também merecem carinho e atenção!

Pais não vêm com manual de instruções, vão desenvolvendo e reinventando os estilos com o tempo, e muitas vezes, no improviso mesmo!

Fazem caretas, dão gargalhadas, choram e se tornam modelos para as meninas e inspiração ou não para os meninos.

São super-heróis aos olhos da criança, vive “pagando micos” aos olhos do adolescente, companheiro de todas as horas na percepção de um filho adulto e referência de saudade para quem já não pode desfrutar de sua presença.

Enfim, independente do tipo ou estilo de seu pai, abrace, beije, ame, surpreenda de forma positiva, conte uma história…

E sim!

Eles adoram nossas histórias!

Cuide com carinho do seu pai!

.

 

 

Eliane Regina é casada há 25 anos com o pai de suas de 3 filhas, graduada em Serviço Social mas atua no mercado imobiliário. Moderadora do Clube da Borboleta.


Pular para a barra de ferramentas