Gata paralítica precisa de ajuda

Por raquelvalli em 20/06/2018

Uma gatinha, que está completando um mês de vida, precisa de ajuda para poder viver com dignidade. Ela não anda, não faz cocô, nem xixi sozinha, está com conjuntivite e com o abdômen distendido.

Ainda não se sabe o que teria provocado a paralisia (se foi agredida ou se sofreu algum acidente). Foi resgatada esta semana cheia de pulgas e vermes, e ganhou o nome de Zara.

O resgate foi feito pela ONG Like Bichos, que atende animais da região de Campinas. A entidade já cuida de uma outro animal nas mesmas condições, a gata Friday, que também está paralítica.

“Mesmo com todas as dificuldades, mesmo sabendo que teremos gastos extremamente altos, como poderíamos negar um pedido de socorro como esse? Como deixar um bebezinho à própria sorte? Um bebezinho deficiente! E foi assim que a Zara chegou até nós, uma bebê cheia de esperanças e amor. Desde o primeiro minuto do resgate ela começou a ronronar, sabia que estava sendo salva!”, informa a página da Like Bichos no Facebook.

Zara está sendo tratada na Clínica Espaço Animal em Sumaré – mesmo local onde Friday recebe tratamento.

A clínica é parceira da ONG, e, por isso, cobra um preço mais baixo. Mesmo assim, a organização tem dificuldade para arcar com os custos médicos porque sobrevive de doações e do que arrecada com os eventos que promove.

Além de resgatar animais de maus-tratos, ainda presta auxilio aos pets do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Hortolândia.

AJUDA PARA ZARA

Ração para filhotes
Latinhas de Recovery ou A/D
Fraldas para bebês tamanho RN
Tapetes higiênicos

As doações dos produtos podem ser deixadas nos seguintes locais:

Clínica Espaço Animal (Sumaré): Av. José Mancini, 440 – Centro. Telefone: (19) 3873-3575. Aberta 24h.

Pet Camp (Campinas): Av. Mal. Rondon, 482 – Jardim Chapadão. Telefone: (19) 3253-0003. Abre às 8h30 e fecha às 19h30.

Parque das Bandeiras Shopping (Campinas):  aos sábados, das 10h às 16h, nas feiras de adoção da ONG, no Espaço Pet, no acesso A.

100% Pet Taquaral:  Av. Dr. Heitor Penteado, 13 – Jd. Nossa Senhora Auxiliadora, Campinas. Fone: (19) 3203-0044. Abre às 8h e fecha às 20h.

As retiradas também podem ser combinadas com a ONG pelo WhatsApp: (19) 9-8820-2387

🚨🚨🚨🚨 ATUALIZAÇÃO 🚨🚨🚨Ontem a Zara foi ao veterinário que também cuida da Friday para descobrimos o que nossa pequena tem. Infelizmente ela está com a imunidade extremamente baixa o que nos fez pensar que ela era FIV +😭 . Fizemos o teste rápido e graças a Deus ela é NEGATIVA para FIV e FELV (hemograma e teste nos comentários)!!!!Ao contrário da Friday, ela NÃO tem uma lesão na coluna, o raio X mostrou que os ossinhos estão perfeitos, bem alinhados e saudáveis. Sendo assim, a única explicação para o fato dela não andar é que teve um trauma mecânico que atingiu e lesionou os nervos mas não foi suficiente para quebrar os ossos… O trauma foi de menor intensidade do que o da Friday mas as sequelas são bem similares… ela tbem vai precisar fazer acupuntura! Só ontem a nossa conta ficou R$ 337,96 maior ( comprovante nos comentários) além das sessões de acupuntura que custam 45 reais cada!!Por favor, para cuidar dela precisamos de recursos 🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻Quem puder colaborar, faça um depósito ou transferência em nossa conta Itau ag 1419 cc 51517-4 cnpj 25694721/0001-70Também precisamos de ração para filhotes, latinhas de Recovery ou A/D, fraldas para bebês tamanho RN e tapetes higiênicos. As doações em produtos podem ser deixadas com os nossos parceiros da loja 100% Pet Taquaral em Campinas

Publicado por Like Bichos – Proteção Animal em Quarta-feira, 20 de junho de 2018

Cadeirante salva cachorra, mas precisa de ajuda com filhotes

Por raquelvalli em 15/06/2018

Uma contadora que é cadeirante e que tem um cateter no peito para poder fazer hemodiálise corre risco de pegar uma infecção ou ser contaminada por pelos de animais.

Mas, mesmo assim, não conseguiu virar as costas para uma cachorra que estava prenhe e quase sendo atropelada em uma avenida de Campinas.

Simone Regina Pires está amparando uma cachorra, que deu à luz cinco filhotinhos, mas precisa urgentemente de ajuda com lar temporário ou adotantes.

A contadora estava tomando sol em frente de casa quando viu a cachorra tentando atravessar a Avenida Prestes Maia. Pediu ajuda a duas mulheres para poder fazer o resgate, porque não conseguia pegar o animal sozinha.

Na semana seguinte, perdeu o acesso por onde faz hemodiálise, e teve que ser internada no hospital para colocar um novo cateter no peito.

Simone é protetora independente e já cuida de 17 animais – todos resgatados de maus-tratos. Para a cachorra que quase foi atropelada, deu o nome de Love.

“Aqui ela está sendo amada, protegida e feliz. Estamos aprendendo a ser mães juntas, mas não posso ficar com ela porque o risco de infecção é extremamente alto. Eu já os amo, e gostaria de dar-lhes uma família, que cuidasse deles”, afirma.

Quem puder ajudar com adoção ou mesmo com lar temporário, deve entrar em contato com a protetora pelo WhatsApp: (19) 9-9692-9524.

Love começou a dar cria, 3 horas da manhã de hoje, pedi ajuda a vários amigos e ninguém a ajudou, conclusao 1 bebê morto e saldo de 5 vivos, estou em pânico por não conseguir ajudar, apenas um amigo Pietro Sciuto, veio socorre los . Gratidão amigo

Publicado por Simone Regina Pires em Domingo, 10 de junho de 2018

Festas juninas terão feira de adoção de animais

Por raquelvalli em 07/06/2018

Duas festas juninas terão feiras de animais neste final de semana em Campinas. Uma será na Leroy Merlin Dom Pedro, com food truck, e a outra no Colégio Parthenon, com brincadeiras, apresentação de dança e sorteio de brindes.

Ambas serão realizadas em parceria com o Grupo de Apoio ao Animal de Rua (Gaar).

A iniciativa é comemorada pelos protetores de animais, por ser uma excelente oportunidade para os pets encontrarem famílias amorosas e por ser uma chance de conscientização sobre posse responsável.

“É muito importante empresas abrirem espaço em eventos próprios para ONGs de proteção animal para que a sociedade veja como é a realidade, o descaso humano e a falta de responsabilidade em não castrar seus animais”, afirma a protetora Thaise Piculi, membro do Gaar.

“Nosso trabalho é promover – junto à população – a conscientização sobre a castração e a posse responsável do cão e gato que nasceram na rua, para que tenham uma vida digna no conforto de um lar e com o amor de uma família”, acrescenta a voluntária.

PARCERIA

Esta é a primeira vez que o Gaar realiza uma feira de animais no arraiá do Parthenon. Já na Leroy, é a segunda.

Além de participar pela segunda vez da festa junina da Leroy, a ONG realiza feiras de adoção quinzenalmente no estacionamento da loja de materiais de construção, que é pet friendly.

SERVIÇO

Festa junina da Leroy Merlin com feira do Gaar
Quando: domingo (10 de junho) das 10h às 16h
Onde: 
Rod. Dom Pedro I, 21500 – Parque da Hipica, Campinas – SP
Quanto: entrada gratuita

Festa junina no Colégio Parthenon com feira do Gaar
Quando: sábado (9 de junho) das 10h às 16h
Onde: Rodovia Doutor Heitor Penteado, 2001/ 2051 – Sousas/ Campinas-SP
Quanto: R$ 15,00 antecipado, ou R$ 20,00 na hora da festa. Crianças até 11 anos não pagam.
Contato: (19) 9-8198-9155 (WhatsApp), @LeadersSchoolParthenon (Facebook e Instagram) e comunicacao@colegioparthenon.com (e-mail).

 

 

Fotos de casamentos são revertidas em ração para ONGs

Por raquelvalli em 04/06/2018

Um studio de fotografia, que é amigo dos animais, está revertendo parte da renda dele, obtida com fotos de casamentos, em ração para alimentar pets que são resgatados de maus-tratos e que são tratados por protetores.

Trata-se do One Life Fotografia, que lançou a campanha “Casar e Fazer o Bem: Seu Casamento Alimenta um Cãozinho”.

Cada casamento garante alimentação para um animalzinho por até 30 dias, informa a fotógrafa Renata Mantovanelle, que idealizou o projeto com o também fotógrafo Rodrigo Atique.

“Estamos sempre buscando uma forma de ajudar as ONGs e abrigos. Já fotografamos diversos cães e gatos para divulgar a adoção consciente e, hoje, muitos deles tem um lar cheio de amor. Mas nem todas as pessoas podem adotar um animalzinho, então lançamos a campanha”, afirma Renata.

Zeus, recuperado

O studio fica em Jundiaí, mas atende também toda a Região Metropolitana de Campinas. Com a campanha, pretende inclusive beneficiar animais da RMC, como o Abrigo Adorável Vira-Lata, Proteção e Amor, que fica no limite entre Campinas e Valinhos.

Esse abrigo é especialista em resgate de casos críticos, como o do pastor alemão, resgatado em fevereiro com o reto dilacerado por bicheiras.

O animal ganhou o nome de Zeus, e, depois de receber cuidados extensivos por três meses, está completamente recuperado. Procura agora um lar amoroso.

“É a cura pelo amor”, declara a enfermeira Marynes Silva, fundadora do abrigo. Entre os animais que a protetora está tentando recuperar hoje encontram-se o pit bull Max, que está com câncer nos dois ouvidos, e o filhote Beethoven, que foi atropelado, socorrido e que precisa de amputação de uma das patas.

Recebi um pedido de ajuda de 1 filhote de 6 meses e fui ver , está com a patinha pendurada , já está assim a 1 mês Olha que judiação . Alguém para assumir esse caso ? Campinas

Publicado por Marynes Silva em Segunda, 28 de maio de 2018


DO BEM

Pata de Beethoven precisa de amputação

Marynes está radiante com a campanha do One Life Fotografia. “Se todos fossem como a Renata, e ajudassem os outros, não só os animais seriam beneficiados, mas o mundo inteiro seria um lugar muito melhor. Todos devemos seguir esse exemplo”.

Atualmente, o Adorável Vira-Lata está com 27 cães, e precisa, por semana, de R$ 230,00 só para poder comprar ração.

CONTATOS

Marynes Silva: WhatsApp (19) 992705779.

Studio One Life Fotografia: WhatsApp (11) 9-6602-2953
Endereço: Edifício Golden Office em Jundiaí (Rua Cap. Cassiano Ricardo de Toledo, 191 – Chácara Urbana).

 

Frio espalha doenças que são o pesadelo dos cães

Por raquelvalli em 24/05/2018

Dunga morreu com cinomose

Os meses de frio são o  pesadelo para os animais de rua, para os de abrigo e para os que vivem em quintais. Além de sofrerem com as baixas temperaturas – quando não agasalhados, correndo o risco de morrer – ainda crescem as chances de pegarem cinomose ou parvovirose.

Ambas as doenças são fatais, matam em 90% dos casos, e, quando não matam, deixam sequelas terríveis, incluindo neurológicas.

“Nos meses de junho, julho e agosto, ocorre a maior incidência de doenças virais em cães porque o tempo seco e as baixas temperaturas propiciam a preservação dos vírus no ambiente. Consequentemente, a contaminação ocorre em maior escala”, afirma a médica-veterinária Renata Moreno.


PESADELO E BOA NOTÍCIA

Tanto a cinomose como a parvovirose judiam demais dos pets, mas podem ser prevenidas com uma medida simples: a vacinação. Da mesma forma, o sofrimento e morte pelo frio podem ser evitados com casinhas e cobertores comuns, bastando um pouco de boa vontade.

A ONG Like Bichos, por exemplo, está montando caminhas com material de PVC e papelão, mas precisa de doações de cobertas. Serve até ajuda com lençol. Fechou também uma parceria com a veterinária Renata para que a população em geral possa, por meio da ONG, vacinar cachorros a preços acessíveis.

Além de resgatar animais de maus-tratos, a Like Bichos ainda presta auxilio aos pets do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Hortolândia.

http://www.facebook.com/likebichos/videos/841363509384401/


VACINA

“A infecção (da cino e da parvo) ocorre em todas as idades, em maior prevalência em filhotes que perdem a imunidade herdada da mãe (quando desmamados). É nesta época (em torno de 45 dias) que começa o protocolo vacinal dos filhotes. Faz-se uma vacina polivalente a cada 21 dias até completar três doses. Depois, somente reforço anual”, acrescenta a veterinária.

Por isso, é necessário que cachorros sejam vacinados todos os anos contra as duas enfermidades.

O vira-lata Dunga, por exemplo, sofreu os horrores da cinomose e acabou morrendo. Foi resgatado pela ONG em estado crítico, recebeu todos os cuidados possíveis, mas não resistiu.

“É muito triste, muito triste. Essa doença vai judiando tanto do corpinho do animal, até uma hora que ele vai desistindo de viver”, declara a protetora Liliane Costa, fundadora da ONG.

A transmissão é feita com o contato direto de um pet doente com um sadio não vacinado, através de fomites (roupas, sapatos, comedouros, bebedouros etc.). O ambiente onde um animal contaminado esteve tem que ser desinfetado e isolado por muito tempo, e só pode receber um outro animal depois que um veterinário avalie se ainda há risco de transmissão.

CONTATOS DA ONG

WhatsApp: (19) 9-8820-2387.

Facebook: https://www.facebook.com/likebichos/ 

E-mail: grupolikebichos@ootlook.com

Site: https://likebichos.wixsite.com/protecaoanimal

 

Cão com dois ouvidos fechados por câncer precisa de ajuda

Por raquelvalli em 17/05/2018

Um pitbull que está com os dois ouvidos tampados com tumores precisa de ajuda com urgência para o tratamento. Está surdo, e o câncer está quase atingindo o cérebro. Caso o órgão seja atingido, terá sequelas graves e precisará ser sacrificado.

O animal estava em um sítio em Valinhos, foi resgatado por protetores de Campinas esta semana e está internado em estado grave na Pet Center em Valinhos. A previsão inicial é de que a internação seja de pelo menos 15 dias.

Além dos tumores, o cão está com otite severa, e tomando remédios para a infecção e para a dor de ouvido.

“Vamos correr contra o tempo”, afirma a enfermeira Marynes Silva, fundadora do abrigo Adorável Vira-Lata, Proteção e Amor, quem o resgatou junto com a protetora Ana Carolina Sanches.

VISITAS

O cachorro ganhou o nome de Max, e está sob a responsabilidade de Marynes,

“Vou precisar de toda ajuda. Só será possível se todos ajudarem um pouquinho. E vamos rezar muito também. Vistas podem ser feitas, e seria muito bom ele receber esse carinho”, acrescenta a enfermeira.

Max pode ser visitado no horário de funcionamento da Pet Center (de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e das 8h às 14h aos sábados).

A clínica fica na Avenida dos Esportes, 917, no Centro de Valinhos.

AJUDA

Marynes precisa levantar R$ 1,2 mil só para pagar os exames já feitos (raio-x, biópsia e hemogramas) e a internação de Max.

Fora isso, ela ainda precisa de recursos para a quimioterapia.

Quem quiser ajudar, pode ir direto à clínica ou entrar em contato pelo telefone (19) 3327-4133. Pode ainda contatar Marynes pelo WhatsApp (19) 9-9270-5779.

ABRIGO

O abrigo da enfermeira não recebe nenhuma ajuda governamental. Sobrevive com doações, bazares e rifas feitas por ela.

Além de Max, a protetora tem hoje 27 cachorros – todos resgatados de maus-tratos e disponíveis para adoção.

Só para alimentá-los, ela gasta por semana cerca de R$ 230,00.

O abrigo precisa de ajuda contínua com ração, remédios, recursos para consultas e tratamentos veterinários, vermífugos e antiparasitários.

Agora, como a chegada do frio, precisa muito também de cobertores.

Cão que teve rosto partido a facadas é recuperado e posto à adoção

Por raquelvalli em 16/05/2018

Angel após a cirurgia

A cachorra que morava na zona rural de Campinas e que levou pelo menos 12 facadas, tendo o rosto partido devido à agressão, está recuperada e a procura de um lar amoroso.

O caso chocou a proteção animal da cidade, devido à crueldade que o animal sofreu.

A cachorra ganhou o nome de Angel e só sobreviveu porque os golpes não atingiram artérias ou órgãos vitais. Foi resgatada em 9 de março pela ONG LatiCão, que recebeu o pedido de ajuda pelo Facebook.

“Foi uma cena horripilante. A face dela estava partida em dois e sangrava muito”, afirma a protetora Fernanda Fabris, fundadora da associação. As fotos da cachorra com a face partida não são passíveis de serem publicadas.

TRATAMENTO

Angel com a veterinária Elizabeth

Após o resgate, Angel foi imediatamente levada à clínica Alameda Vet, em Sumaré, em estado gravíssimo e correndo risco de morrer devido ao sangramento.

A cirurgia durou mais de três horas, e foram cerca de 60 pontos para saturar todas as lesões.

Devido aos golpes, dentes da cachorra foram partidos, e ela precisou também de tratamento odontológico. Foi castrada esta semana, e está recuperada fisicamente. Apesar das cicatrizes, não ficou com sequelas físicas, mas ainda está traumatizada emocionalmente.

“A pessoa que a adotar vai ter que ter muito amor e paciência, porque no começo, ela provavelmente ficará com muito medo”, acrescenta Fernanda.

FILHOTE

Além de Angel, a ONG resgatou também o filhote da cachorra, que ganhou o nome de Alfredo.

Ele tem cerca de 7 meses, é de porte médio e também está disponível para adoção. “É um cachorro muito tranquilo e obediente. Ele é muito educado”, declara Fernanda.

Alfredo

Alfredo está um lar temporário, mas precisa deixar o local, que abriga filhotes. Já Angel está em um hotel, e não tem contato familiar. “A gente precisa muito da adoção desses cães. Eles merecem ter um lar depois de tudo o que passaram”, afirma a protetora.

LATICÃO

A ONG tem apenas 1 ano e 5 meses, mas já resgatou mais de 160 animais. Hoje tem sob a responsabilidade dela 92 (entre cães e gatos).

Vive exclusivamente de doações e de eventos. Não tem nenhum apoio governamental.

Cuida inclusive de pets cujas chances de adoção são mínimas (como os sequelados ou dependentes de tratamento crônico, como é o caso do Logan, que vive em uma cadeira de rodas).

Para mantê-los, precisa de cerca de R$ 7 mil mensais. Quem quiser ajudar, deve entrar em contato com Fernanda pelo WhatsApp (19) 988331239.

INVESTIGAÇÃO

O suspeito de ter esfaqueado Angel é um dependente de drogas. A ONG registrou um boletim de ocorrência, e o caso está sendo investigado pelo 6° Distrito Policial de Campinas.

Pela 1ª vez Campinas Decor tem feira de adoção

Por raquelvalli em 07/05/2018

Pela primeira, uma feira de adoção responsável é realizada dentro da Campinas Decor. A iniciativa foi do arquiteto Beto Tozi, que idealizou o Espaço Vida de Cão. Já os animais disponíveis são da ONG OperaCÃO Resgate, que foi convidada pelo arquiteto a participar.

A ação surgiu como meio de interagir o público visitante com os animais, promovendo adoção e conscientização.

A área disponibilizada pela mostra se chamava inicialmente canil, e era destinada aos pets porque, segundo pesquisas, 44% dos lares brasileiros os têm.

O arquiteto, entretanto, criou um espaço “onde o pet é mais um morador da casa e deve ser tratado com todo carinho e cuidado”.

Vini, para adoção

Isso porque para Tozzi, “as relações – tanto em casa quanto no trabalho – melhoram com a presença de animais”.

CICLO VIRTUOSO

Ainda segundo o profissional, a boa ação repercutiu ainda mais do que ele imaginava. “Eu realmente fiz porque acredito no trabalho das ONGs, e entendo que poderia deixar mais pessoas com acesso a este incrível trabalho”.

Além de lisonjeada, a OperaCÃO Resgate ficou muito empolgada com o convite.

“O Beto foi fantástico. Nós não pagamos nada pelo espaço, cedido por ele. Estamos com expectativa de adoções, para que possamos desafogar a quantidade de animais que estamos no momento (cerca de 100) e ainda plantamos uma sementinha para que o público da mostra conheça a situação dos abandonos, dos maus-tratos e ajude na causa animal”, declara Marjorie Rodrigues, fundadora da ONG.

Todos os animais disponíveis estão vacinados e vermifugados. Os que já têm idade suficiente já foram inclusive castrados.

1ª PIZZA SOLIDÁRIA 

Haverá feira aos finais de semana até o final do evento em 10 de junho, exceto no sábado e no domingo, 12 e 13 de maio porque a ONG realizará nesses dois dias a 1ª Pizza Solidária  em parceria com o Grupo Amigos dos Anjos de Patas.

“Precisamos da ajuda de todos comprando, vendendo, conseguindo insumos e ou patrocinadores para que consigamos melhor rendimento com esse trabalho”, afirma Marjorie.

As pizzas estão disponíveis em dois sabores: mussarela e calabresa, e serão entregues Cada unidade custa R$ 25,00. Comprando duas, ganha-se um refrigerante de dois litros.

SERVIÇO

O quê: Feira da OperaCÃO Resgate no Espaço Vida de Cão.

Onde: Campinas Decor 2018 (Fazenda Argentina – Rua Dr. Ricardo Benetton Martins, s/n, Campinas, SP. Próximo ao CpqD).

Quanto: a entrada na Campinas Decor custa R$35,00, e, a meia, R$ 17,50.

Mais informações: adote@operacaoresgatecampinas.com.br

Campinas agora tem escola para cães

Por raquelvalli em 02/05/2018

Um conceito novo em creche para cachorros, que só havia em São Paulo, chegou a Campinas. Nessas escolas, além da socialização, que é comum em todas as creches, há uma programação diária com treinamentos específicos, jogos, brincadeiras interativas e dessensibilização.

Há inclusive o momento da sonequinha depois do recreio, em que todos os cães são incentivados a descansar e dormir – hábito essencial, e próprio da espécie, e que os mantêm relaxados, revigorados e estimulados.

http://www.facebook.com/GDTSOFICIAL/videos/1991682017763404/

“Como a maioria dos nossos alunos mora dentro de casa, um dos nossos ambientes é o doméstico. Isso é importante para corrigirmos comportamentos errados, como roer e cavar o sofá, roer móveis, fazer xixi no lugar errado etc”, afirma o adestrador profissional David Peçanhuk, proprietário da Good Dog Training School (GDTS).

Uma das alunas é a vira-lata Cacau. “Ela ama a escolinha. Ama. E, pra gente, é muito bom, porque não é só uma creche. Lá, ela recebe treinamento, além de socializar”, declara o servidor Márcio Ramos, tutor do animal.

http://www.facebook.com/GDTSOFICIAL/videos/1994680124130260/

Além do daycare, a escola também tem “hospedagem familiar”, para os cães que precisem de hotelzinho. “Eles dormem junto com a gente, dentro do quarto, em suas caminhas individuais, tudo pra que se sintam mais confortáveis e pra que sintam menos a separação momentânea da família”, acrescenta Peçanhuk.

Para os cães que já tiveram problemas com banho e tosa, e que tenham medo dos procedimentos, há o banho e tosa terapêuticos, que promovem a dessensibilização. O procedimento alia técnicas de relaxamento e de treinamento, reabilitando os traumatizados.

Mas, é indicado também para os animais sem traumas, cujos tutores se preocupem em oferecer uma experiência agradável ao pet.

O daycare não é indicado para cães agressivos, idosos e/ou com muitas limitações físicas e de saúde.

“Para que um cão seja matriculado, fazemos uma análise de temperamento e de comportamento dentro do nosso espaço com os nossos alunos. Cães de todas as raças, ou sem raça definida, socializados, ou com déficit de socialização, mediante essa análise, podem ser matriculados”, informa o adestrador.

Machos são aceitos apenas castrados, e todos têm que usar coleira de identificação. A carteira de vacinação tem que estar em dia, assim como o controle de pulgas e carrapatos, que é feito mediante exame parasitológico de fezes (com resultado negativo) e vermifugação trimestral ou semestral comprovada.

Contato

Telefone/ WhatsApp: (19) 99453-9957

Endereço: Rua Daniel Pedro Muller, 189 – Botafogo – Campinas/ SP

 

Família precisa de ajuda para levar cães em mudança

Por raquelvalli em 18/04/2018

Uma faxineira que mora em Campinas, mas que precisa mudar-se para Sergipe para ajudar o pai dela, que está com câncer no estômago, está batalhando para poder levar consigo dois cachorros na mudança.

Gabriela Santos de Andrade, de 29 anos, consegui as passagens aéreas para si, para o marido e para os quatro filhos, mas a família não tem recursos suficientes para levar os cães.

Os bilhetes aéreos foram ganhos, mas, mesmo assim, a diarista ainda precisa de cerca de R$ 2,5 mil (R$ 1 mil para poder embarcar os pets; mais R$ 1,4 mil para as duas caixas de transporte, que são específicas; mais R$ 100 para o laudo veterinário).

Amigos fizeram uma vakinha on-line, mas até agora Gabriela só conseguiu arrecadar R$ 440.

Além dos recursos, a faxineira corre contra o tempo. Precisa notificar a Latam (de que vai levar os cães) até no máximo 28 de abril (a notificação precisa ser feita com 30 dias de antecedência da data do embarque).

Layo, de 2 anos, e Negrinha, de 3, são castrados e estão vacinados, graças a doações.

“Pago aluguel, e meu esposo ganha pouco. Não tem estudos. Meu pai está sozinho em Sergipe. Não tenho nem palavras. Queria trazer pra Unicamp, mas ele não aguenta vir. E eu gostaria muito de levar os meus cachorros. Eu os amo de paixão, como se fossem meus filhos. Não quero deixá-los. Peço ajuda, pelo amor de Deus, pelos meus filhos, para que não sofram”, afirma a faxineira.

DO BEM

Uma das voluntárias que batalha pela família é a protetora de animais Marisa de Oliveira.

Marisa

“Quando tive câncer, há 11 anos, e passei por todo aquele procedimento doloroso de quimioterapia, de ficar careca, de tirar o seio, eu também estava sozinha, longe da minha família. E tudo o que tinha era uma mestiça de poodle, a Mel, quem me deu forças pra lutar por 2 anos”,  afirma.

“Foi a Mel quem me fez perceber como os animais têm sentimentos e como são importantes pra nós. Foi aí que meus valores mudaram, e que eu passei a lutar por eles”, acrescenta.

Marisa é aposentada, e cuida hoje de 11 cães e de 15 gatos – todos resgatados de maus-tratos.

Foi ela quem conseguiu, há dois anos, embarcar dois cachorros para o Paraná.

Encabeçou uma vaquinha na rodoviária de Campinas depois que os donos dos animais dormiram três dias seguidos no terminal rodoviário. A família se negava a abandonar os cães. Vinha de Minas, e o dinheiro que dispunha não cobria a passagem dos cachorros.

AJUDE A FAMÍLIA

Gabriela: WhatsApp (19) 9-8353-5569

Vakinha on-line: https://goo.gl/qn2pzm